Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

7 sinais de possível presença demoníaca em uma pessoa

Compartilhar

Listados por Luigi Janiri, psiquiatra, psicoterapeuta, professor universitário e estudioso de fenômenos ligados à possessão

O italiano Luigi Janiri é professor nas Universidades Lumsa, de Roma, e Católica, de Milão. Psiquiatra e psicoterapeuta, ele estudou de perto os fenômenos que envolvem pessoas supostamente possuídas pelo diabo, a fim de identificar quais elementos podem ajudar a distinguir entre condições psicopatológicas e casos realmente inexplicáveis pela medicina.

Alguns de seus comentários podem ser lidos neste artigo, mas listamos abaixo sete sinais que, segundo Janiri, podem ser reconhecidos como “paranormais” ou pelo menos “extraordinários” o suficiente para serem interpretáveis ​​como “presença” de uma entidade estranha no corpo de um indivíduo:

Sete sinais

1) Alterações somáticas: mudanças da cor dos olhos, surgimento de estigmas ou outras “inscrições” cutâneas, marcas de fogo, hemorragias inexplicáveis, mudanças bruscas no tom e no timbre da voz etc;

2) Titanismo: força incompatível com o físico da pessoa ou que a leva a executar façanhas como levantar pesos desproporcionais, arremessar grandes móveis ou lançar objetos muito pesados;

3) Levitação: alçar-se do solo sem apoio;

4) Falar em línguas desconhecidas pela pessoa; com frequência, além do mais, são línguas mortas ou arcaicas;

5) Ler pensamentos alheios: demonstrar saber o que o interlocutor está pensando ou sentindo no momento;

6) “Vomitar” objetos que a pessoa não pode ter introduzido em si mesma, como pregos ou pétalas de flores; neste mesmo conceito, acrescentam-se ainda fenômenos como o surgimento “prodigioso” de objetos do nada ou a transformação de objetos em outros diferentes;

7) Hipersensibilidade aos símbolos sagrados: é frequente que fenômenos como os mencionados acima ocorram espontaneamente durante a missa, em particular durante momentos muito significativos, como a bênção; ou na presença de padres, mesmo que não sejam exorcistas; ou durante a realização de exorcismos.

Mais informações em:

Possessão demoníaca: os sinais que a medicina não consegue explicar