Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Deus fechou a porta do passado para você seguir em frente

FEMME MARCHANT
© Shutterstock
Compartilhar

O caminho rumo à cura emocional é árduo, longo e cansativo, mas vale a pena

Quantas vezes ela já havia dito aos outros: “Deixe isso para trás e siga com sua vida. Deus já te perdoou, agora você precisa se perdoar”. Ela falava como se fosse simples abandonar o passado e nunca mais pensar nele, ver as lembranças apagadas, o ontem desfeito em pedacinhos e as mágoas sumirem num passe de mágica.

Ela sabia que o caminho rumo à cura emocional é árduo, longo e cansativo, já havia tentando ir por ele tantas vezes e sempre parava na beira da estrada e desistia. Nunca havia chegado até o final, pois acabava voltando a estaca zero onde era refém das memórias extremamente dolorosas.

E não há nada mais frustrante do que estar bem num dia e duma hora para outra a dor te invadir, ela simplesmente chega sem avisar e te enche de tristeza, arrependimento e até raiva de si mesma.

Por mais que queira deixar tudo para trás sempre algo puxa de volta, quando tenta sorrir alguma coisa aparece para tirar o sorriso da sua boca, e fica constantemente se culpando pelo que houve, fica imaginando o que deveria ter acontecido caso não tivesse cedido, se não tivesse dito sim e deixado o erro acontecer.

São tantos “e se” lhe rodeando, tantas coisas que seriam evitadas, tanto sofrimento que nunca chegaria em seu coração, e fica pensando o quanto seria diferente sem os traumas, os sentimentos ruins, as recordações, as cicatrizes.

Seria outra pessoa sem dúvida porque a dor lhe mudou tanto, ela teve que amadurecer anos em meses, construir uma fortaleza alta sem a ajuda de ninguém e fazê-la ser resistente a novas investidas das ilusões e enganos.

Sem falar das noites de choro abafado quando as lembranças vinham, não poderia gritar como gostaria, só ficava quietinha no canto da cama abraçando seu travesseiro molhado e pedindo a Deus forças para levantar da cama no dia seguinte, que seus olhos não estivessem tão inchados e que conseguisse sorrir de forma convincente.

Porque não queria que as pessoas vissem esse seu lado mais triste, queria ser a menina feliz, corajosa, esperta e engraçada, não a menina que sofre por dores antigas e não consegue tomar atitudes atualmente sem pensar no passado.

Não queria continuar assim, não poderia viver sua vida dessa forma, tinha que ser livre, deixar tudo ir embora e procurar a si mesma onde havia se perdido. Resolveu levantar e tentar de novo, já conhecia metade do caminho e estava ansiosa para ver o seu final.

Então, enquanto lia a Bíblia, encontrou as seguintes palavras em Filipenses (3, 13-14): “Não sou ainda tudo quanto deveria ser, porém estou concentrando todas as minhas energias para insistir nesta única coisa: esquecendo o passado e aguardando esperançoso aquilo que está à minha frente, esforçando-me para chegar ao fim da corrida e receber o prêmio para o qual Deus está nos chamando ao céu, em Cristo Jesus”.

E essas palavras tiveram um impacto tão forte em seu coração que só queria chorar e agradecer a Deus. Aquele dia em particular não estava sendo fácil, pois o passado encarnado havia voltado das sombras e resolveu dar um oi, então seu coração estava batendo muito rápido, sua respiração estava também acelerada e consequentemente estava nervosa e com medo, porém Deus falou de forma poderosa a relembrando sobre a promessa que havia lhe feito de apagar essas lembranças.

Pois Ele já havia a perdoado por tudo, conhecia seu coração e queria que ela se permitisse viver de volta, não a queria mais vivendo no ontem, queria sua menina vivendo o agora sem preocupação e ansiedade, mas com a alma livre de qualquer impedimento de amar de novo e ser amada, podendo sorrir de maneira sincera e sem receio ou desconfiança das pessoas que se aproximavam.

Deus a ama tanto e por isso resolveu fechar de uma vez por todas essa porta escancarada que só a leva a dias passados, e ela aceitou essa nova chance e disse a si mesma e a Ele que não voltará mais para lá. Vai tentar se perdoar, se amar e se libertar porque em Deus tudo isso é possível, a cura logo vem e num novo começo é escrito em sua história de vida.

 

(via Ela já foi verão)