Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que algumas igrejas têm criptas?

Philippe Roy / Aurimages
CRYPTE DU 11EME SIECLE DE L'EGLISE ROMANE NOTRE-DAME, VILLAGE DE VOUVANT LABELLISE PLUS BEAU VILLAGE DE FRANCE, PAYS DE FONTENAY-LE-COMTE, POITOU, VENDEE (85), PAYS DE LOIRE, FRANCE
[pas d'autorisation nÈcessaire]
Compartilhar

As igrejas têm algo a esconder?

A etimologia da palavra cripta designa um lugar escondido. Portanto, a cripta de uma igreja é uma parte geralmente invisível e situada em seu subsolo. Devido a essa situação particular e a seu acesso discreto e secreto, durante muito tempo as criptas foram utilizadas para guardar e proteger relíquias e restos de santos e mártires da cobiça de profanadores e saqueadores.

Embora as criptas das igrejas e de outros edifícios religiosos tenham servido como tumbas, esta não é a sua única função. Frequentemente, as tumbas ficam nas capelas laterais, não muito distantes da nave principal das igrejas, à vista de todos.

Algumas criptas estão preparadas para permitir a celebração de ofícios litúrgicos. Por exemplo, depois da destruição de sua igreja, em 1780, os Cavaleiros da Ordem do Santo Sepulcro foram acolhidos na cripta da igreja de Saint-Leu, em Paris, e lá mantiveram as atividades do capítulo.

Em alguns casos, a cripta é mais antiga que a própria igreja em que está inserida. É o caso da cripta de São Remo, em Lyon, que data da época carolíngia, enquanto a igreja atual foi construída no século XIX.

Atualmente, em algumas paróquias, cujas criptas não são de especial interesse histórico e arquitetônico, o que interessa é o aspecto prático: no inverno europeu, o local permite a celebração de cerimônias em condições mais cômodas, já que é muito difícil aquecer uma igreja. É também o lugar ideal para conservar parte do material litúrgico e, às vezes, um lugar acolhedor da vida pastoral.