Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 23 Janeiro |
São Vicente Pallotti
home iconAtualidade
line break icon

Sanções da ONU contra Pyongyang incluem armas, carvão, ferro e pescados

Cheriss May/NurPhoto

Agências de Notícias - publicado em 04/09/17

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira que irão apresentar em uma semana ante o Conselho de Segurança da ONU um projeto de resolução para impor novas sanções contra a Coreia do Norte.

As Nações Unidas já adotaram sete séries de sanções, progressivamente severas, principalmente um embargo de armas, bloqueio de ativos e proibição de importar carvão, desde que Pyongyang realizou seu primeiro teste nuclear, em 2006.

– Sete séries de sanções –

As primeiras sanções foram aprovadas em 2006 e 2009, após os primeiros testes atômicos. Duas séries de sanções chegaram em 2013, duas outras, predominantemente econômicas, em 2016 e finalmente uma no início de agosto de 2017, com o objetivo de privar o país de 1 bilhão de dólares em ingressos provenientes de suas exportações de ferro, carvão e pescados.

– Embargo de armas –

Em outubro de 2006, o Conselho decretou um embargo de armas e proibiu a importação e a exportação de alguns equipamentos e de tecnologia, a fim de impedir que Pyongyang realize testes nucleares o lance mísseis balísticos.

Em junho de 2009, este embargo foi estendido a todos os equipamentos militares, às transações financeiras e à formação técnica relacionada ao abastecimento e utilização de armas e tecnologia nuclear e balística.

Em 2013, essas restrições foram reforçadas para permitir que países de trânsito requisitem e destruam todo equipamento relacionado ao programa de armas norte-coreano.

– Viagens, produtos de luxo, bens –

A ONU criou em 2006 um Comitê de sanções encarregado de confeccionar uma lista negra de personalidades e entidades suspeitas de contribuir para os programas militares proibidos de Pyongyang.

Essas sanções precisas incluem proibição de viagens, atingindo igualmente familiares de pessoas afetadas, e bloqueio de bens.

Esse regime foi ampliado em 2013 a indivíduos ou entidades que ajudaram a Coreia do Norte a driblar as sanções. A ONU convidou assim todos os países a não vender produtos de luxo aos dirigentes do regime comunista.

– Exportações –

Em 2 de março de 2016, o Conselho fortaleceu as sanções econômicas e impôs um controle sistemático de todas as cargas procedentes ou com destino às costas norte-coreanas. A resolução proíbe as exportações de carvão, ferro e minério de ferro, salvo se os ingressos gerados forem utilizados para a “subsistência” da população norte-coreana.

Pyongyang também é proibido de vender ouro, titânio e minérios raros utilizados no setor de alta tecnologia e já não pode obter combustível para a aviação nem para os seus mísseis.

Em 30 de novembro, a ONU apertou o cerco, limitando as exportações norte-coreanas de carvão para a China.

Em 5 de agosto de 2017, novas sanções ainda mais severas foram aprovadas por unanimidade, a fim de privar Pyongyang dos ingressos provenientes de suas exportações de carvão, ferro, minério de ferro, chumbo e pescados.

A China, destino de 90% das exportações norte-coreanas, prometeu respeitar as novas sanções.

– Eficácia limitada das sanções –

Especialistas e diplomatas concordam que as sanções têm um impacto limitado e são apenas um dos recursos disponíveis contra a Coreia do Norte.

Segundo um relatório da ONU que deve ser divulgado em breve, Pyongyang é cada vez mais capaz de driblar as sanções impostas.

De acordo com diplomatas que tiveram acesso ao documento, seus meios são muito variados: utilização de países terceiros ou empresas de fachada, troca frequente das licenças de navios cargueiros, falsas declarações de cargas, etc.

Além das sanções internacionais adotadas pela ONU, os Estados Unidos, a União Europeia e o Japão decidiram adotar várias sanções unilaterais.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Larry Peterson
Ela se divorciou duas vezes, teve 8 filhos, virou freira e levou ...
2
Aleteia Brasil
5 milagres que a ciência tentou, mas nunca conseguiu explicar
3
Aleteia Brasil
O testemunho de São Sebastião, o soldado mártir do Império Romano
4
FETUS
Francisco Vêneto
Abortos no mundo em 2021 já superam mortes por covid em toda a pa...
5
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fátima - e uma interpret...
6
FAMILY PRAY
Philip Kosloski
Oração para manter as crianças longe do perigo
7
Daniel Neves e Nossa Senhora dos Rins
Francisco Vêneto
Nossa Senhora dos Rins e a devoção de um menino que pede a graça ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia