Aleteia

Sabia que os bebês dentro do útero adoram “ver” os rostos humanos?

Shutterstock-Uvarov Stanislav
Compartilhar
Comentar

Será que eles ficam tão ansiosos para conhecer nossos rostos quanto nós para vermos os deles?

No terceiro trimestre da gestação, o feto está cada vez mais consciente do mundo fora do útero. Você sabia que ele consegue ouvir a voz de sua mãe desde a 18.ª semana da gravidez? Algumas semanas depois disso, ele também já vê a luz que ultrapassa as paredes do útero.

São fatos que intrigaram os cientistas. Se um bebê que ainda não nasceu pode enxergar a luz, e podemos fazer um ultrassom 4D e ter uma ideia muito clara das reações do bebê, então ele seria atraído para uma configuração de luz semelhante ao rosto? Foi o que perguntaram os pesquisadores. Vincent Reid e seus colegas da universidade britânica de Lancaster observaram 39 bebês no útero, virando a cabeça deles em direção a três pontos de luz que brilhavam através da parede uterina. A luz destinava-se a imitar um padrão de rosto rudimentar, com dois pontos acima, como os olhos, e um centralizado abaixo deles, onde seria uma boca.

Mas eles não estavam interessados somente nos pontos luminosos. Os cientistas descobriam que os bebês eram mais propensos a seguir o padrão que imitava um rosto humano. Quando os pesquisadores invertiam o formato das luzes, os bebês não reagiam.

Nós sabemos que os recém-nascidos são atraídos para os rostos humanos, embora sua visão seja muito pobre. Eles não veem detalhes, apenas manchas escuras e leves que indicam os olhos e a boca da mãe, desde que ela não esteja muito distante. E quanto aos bebês nascidos prematuramente, eles são tão interessados em rostos quanto os bebês que atingem o período gestacional completo.

A questão, como sempre, é “por que isso tudo interessa?” Interessa porque todos querem saber sobre o que os bebês podem fazer dentro do útero, o quanto eles sabem etc. Mas, isso não vai transformar todo mundo em pró-vida, já que nem a ultrassom o fez.

Ainda assim, isso muito é importante para mim. Estou sentada aqui sentindo meu próprio filho minúsculo se contorcendo dentro de mim. Eu acho que isso importa porque diz que o bebê, a seu modo, está tão ansioso para ver meu rosto quanto eu para ver o dele. Ele diz que ele está se preparando para mim, assim como eu estou me preparando para ele. O amor começa muito pequeno, em ações tão simples como o contato com os olhos. E essa conexão cresce tanto que reflete o próprio amor de Deus, a própria essência de Deus. Este meu bebê já está se preparando para se apaixonar, primeiro por mim, depois por sua família, e espero, finalmente, por toda a família humana, especialmente por Cristo, que tem um rosto humano também.

Os seres humanos são feitos para o amor. E eu adorei saber que, mesmo antes do nascimento do meu filho, ele está desenvolvendo uma atração inata para o rosto humano. É exatamente a maneira como sua vida deve começar, uma vez que o trabalho da nossa vida inteira é gerar essa semente de amor e torná-la algo celestial.

Boletim
Receba Aleteia todo dia