Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Clero e política: mensagem em rede social pede que Igreja no Brasil faça autocrítica

Oração pelo Brasil
Compartilhar

Atribuído a sacerdote, texto propõe pedir perdão a Deus pelo pecado de uma parte significativa do clero e do laicato organizado

Recebi via rede social, e constatei que centenas de amigos e conhecidos também receberam, a seguinte mensagem atribuída a um sacerdote cujo nome não foi divulgado juntamente com o texto:

Neste dia 7 de setembro, que a Igreja no Brasil propôs ser de jejum e oração pelo Brasil, penso que deveria haver também um momento penitencial em que ela pedisse perdão a Deus pelo pecado de seus filhos – uma parte significativa do clero, hierarquia e laicato organizado – que fez primeiro um “pacto de sangue” com as forças políticas que destruíram o nosso país.

Fazendo a “purificação da memória”, lembraríamos que, sem este apoio, elas nunca teriam chegado aonde chegaram.

Lembraríamos também que fizeram tudo isso ignorando solenemente as orientações constantes do Papa e do Magistério da Igreja, que, desde Paulo VI, não se cansaram de adverti-los sobre as derivas ideológicas [dessa postura]. 

Não pude confirmar a identidade do autor do texto e, portanto, não posso saber com certeza se ele é mesmo sacerdote, mas, conhecendo não poucos que pensam o mesmo, acho bastante crível que seja.

De todo modo, o que pode ser afirmado é que o conteúdo desta mensagem parece ser compartilhado por uma quantidade grande (e crescente ainda mais) de católicos – a começar pelos Papas que sistematicamente condenaram, com luminosa clareza, a confusão difusa entre Igrejas locais e ideologias partidaristas.

Discorde-se ou não da sugestão contida nessa mensagem, é um tema sobre o qual considero que podemos refletir com proveito e, se não for pedir muito, dialogar abertamente.