Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 24 Julho |
home iconEm foco
line break icon

Retumbante reação católica leva Santander Cultural a encerrar mostra blasfema

Creative Commons

Francisco Vêneto - publicado em 11/09/17

O que não tinha doído na consciência cidadã da instituição acabou lhe doendo no bolso e na marca

A intensa mobilização nas redes sociais por parte de milhares de católicos que reagiram contra um ataque frontal à fé cristã conseguiu uma vitória histórica neste início de semana. O instituto Santander Cultural, na cidade de Porto Alegre, se viu forçado a encerrar neste domingo, 10 de setembro, a sua indignante mostra blasfema em que, sob a hipócrita máscara da “liberdade de expressão“, artistas agrediam gratuitamente símbolos centrais da fé de milhões de brasileiros.

A exposição “Queermuseu – Cartografia da Diferença na Arte Brasileira” tinha sido aberta em 15 de agosto e estava programada para continuar até 8 de outubro, exibindo 270 obras que, segundo a entidade, “abordavam questões de gênero e diferença“.

Na prática, eram obras que ridicularizavam símbolos religiosos. Entre elas, pasmem, havia hóstias nas quais estavam inscritos nomes de órgãos sexuais, além de imagens que evocavam pornografia, pedofilia e zoofilia.

A indignação e o repúdio dos católicos a esse vergonhoso e indisfarçado ataque contra a fé cristã foi retumbante e veemente como não poderia deixar de ser.

Entre as implacáveis reações dos católicos agredidos, um alto número deles anunciou publicamente o cancelamento das próprias contas na instituição financeira responsável pelo instituto. Além disso, a avaliação da página do Santander Cultural no Facebook foi rebaixada para 1,4 graças aos protestos dos católicos ofendidos.

O que não tinha doído na consciência cidadã da instituição acabou lhe doendo no bolso e na marca. Diante da mobilização, o Santander Cultural anunciou o fim da agressão aos católicos pedindo o que chamou de “sinceras desculpas a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra“.

O Santander Cultural admitiu em nota:

“Entendemos que algumas das obras da exposição Queermuseu desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas”.

O instituto acrescentou, embora bastante tarde, que isto “não está em linha com a nossa visão de mundo“. Lamenta-se, porém, que tenha sido preciso sofrerem as consequências da indignação católica em forma de prejuízo de imagem para finalmente revisarem a sua alegada “visão de mundo”.

O padre Augusto Bezerra, um dos incentivadores da reação dos católicos contra esta agressão espúria, comentou:

“Que sirva de exemplo a qualquer um que tente algo do tipo. Estamos avançando e não vamos cessar nossa militância cristã. Sim, cristãos posicionados e fazendo frente aos males presentes”.

A Arquidiocese de Porto Alegre também se manifestou em nota nesta segunda-feira, destacando “a sua estranheza diante da promoção da exposição realizada junto ao Santander Cultural, na capital gaúcha, que utiliza de forma desrespeitosa símbolos, elementos e imagens, caricaturando a fé católica e a concepção de moral que enleva o corpo humano e a sexualidade como dom de Deus”.

A Arquidiocese acrescenta que a sociedade tem “assistido a ataques discriminatórios à cultura judaico-cristã que contribuiu na formação cultural do ocidente” e afirma que “eliminar as dificuldades jamais pode significar desrespeitar o outro e suas crenças, especialmente porque, ao se tratar do imaginário simbólico da fé, entra-se num campo delicado de significados e sentidos que a ninguém é dado o direito de desprezar. Em tempos de terrorismo e intolerância, não se constroem pontes com agressão e desrespeito pelo o que é mais íntimo e sagrado no outro: sua fé e seu corpo”.

O arcebispado convida ainda a “um humanismo solidário, com uma atitude de paz que não precisa agredir e ofender quem tem pensamento diferente“, além de propor o exemplo de São Francisco de Assis, “medieval e cristão que continua a iluminar a contemporaneidade, a ver o outro como irmão e a nos fazer instrumentos de paz“.

Tags:
IdeologiaintoleranciaPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
Atriz Claudia Rodrigues
Reportagem local
Assessora pede orações por atriz Claudia Rodrigues: “está m...
6
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
7
Orfa Astorga
Até que idade é saudável morar na casa dos pais?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia