Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

O poderoso simbolismo do leão na arte cristã

LION
Baranov E | Shutterstock
Compartilhar

O rei da selva tem papel de destaque - até mesmo como símbolo de Cristo

O leão sempre atraiu as atenções do mundo: apelidado em muitas culturas de “rei da selva”, ele tem uma força majestosa que impressiona e cativa quem o contempla.

Santo Isidoro de Sevilha explica alguns atributos do leão que fazem dele um animal formidável.

“O leão é o rei de todos os animais (…) A sua coragem se mostra do rosto à cauda; a sua resistência está na cabeça; a sua força, no peito. Quando cercados por caçadores armados de lanças, eles olham para o chão a fim de não cederem ao medo… Eles dormem de olhos abertos. Quando andam, os leões apagam suas pegadas com a cauda para que os caçadores não possam segui-las”.

Tão associados à força, à coragem, à majestade e à fortaleza, os leões têm sua figura frequentemente usada na arte para simbolizar esses valores. A imagem do leão aparece com grande frequência nos brasões medievais e é vista até hoje em bandeiras nacionais.

Havia até uma crença, antigamente, de que os filhotes de leão nasciam mortos, mas, depois de três dias, voltavam à vida graças ao rugido estrondoso de seu pai.

Na usança cristã, o leão é um dos símbolos de Jesus, em parte por representarem a realeza. O livro do Apocalipse fala de Jesus como leão: “Não chores. O leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, triunfou” (Apocalipse 5,5).

Na literatura, “As Crônicas de Nárnia”, de C. S. Lewis, provavelmente compõem a mais famosa representação contemporânea de Jesus como um leão.

O leão também simboliza o evangelista São Marcos – aliás, é por isso que existe uma bela e destacada estátua de leão na mundialmente reconhecida Praça São Marcos, de Veneza. Cada um dos quatro evangelistas foi associado à figura de um animal dentro da cultura medieval dos simbolismos, com base em passagens dos textos evangélicos que escreveram. No caso de São Marcos, ele descreve São João Batista como uma voz que clama no deserto, imagem tradicionalmente identificada com o rugido do leão (cf. Marcos 1,3).

Além disso, há uma antiga lenda, preservada na cultura copta, segundo a qual São Marcos teria encontrado certa vez um leão. Diz a lenda:

“Certa vez, apareceram um leão e uma leoa para Marcos e seu pai Arostalis enquanto viajavam pelos arredores do Jordão. O pai ficou muito assustado e ordenou que o filho escapasse, enquanto ele ficava e encarava o destino que lhe coubesse. Marcos, porém, assegurou ao pai que Jesus os salvaria e começou a orar. Os dois animais em seguida caíram mortos e, por decorrência do milagre, o pai acreditou em Cristo”.