Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 04 Agosto |
São João Maria Vianney
home iconEstilo de vida
line break icon

5 frases para desenvolver a autoconfiança das crianças

Berc

Mathilde Dugueyt - publicado em 03/10/17

Algumas palavras podem mudar tudo

Na base do bem-estar, a confiança em si mesmo é um pilar para as crianças desde os primeiros meses de vida. E os pais têm todas as ferramentas necessárias para cultivar essa confiança e autoestima dos filhos. Algumas palavras podem mudar tudo!

Mais do que uma simples frase, é a nossa atitude que ajudará a criança a adquirir a autoconfiança. Incentivá-las em suas experiências, fazer com que ela enfrente as coisas que estão ao seu alcance (nem muito difíceis, nem muito fáceis) é um primeiro passo.

Quando as crianças confiam nelas próprias, elas desenvolvem e cultivam o espírito de valentia, amor e entusiasmo. Graças à autoconfiança, os mais jovens compreendem que são capazes de fazer as coisas – sozinhos ou com a ajuda dos outros. Assim, eles tomam consciência da força do grupo.

Os pais desempenham um processo decisivo nesse processo. Evitando a avaliação ou a comparação, são como um espelho para a criança. Eles a motivam a agir, levando em conta sua personalidade e suas capacidades.

“Se a criança tem confiança, ela não se sente em perigo”, enfatiza Isabelle Pailleau, psicoterapeuta e autora do livro Zatypiques. Descubra, portanto as palavras sugeridas por essa especialista em pedagogia, para promover a autoconfiança de seus filhos.

Frases para multiplicar a autoconfiança das crianças:

 “Vamos, tente!”

São palavras simples que formam a base de uma relação entre pais e filhos, já que é importante não dramatizar as situações e repassar à criança os eventuais riscos, de forma realista. Muitas vezes, o pior não é tão grave quanto parece.

Por exemplo: “tente colocar a mesa, se você quebrar um prato, temos outros!”. Pouco a pouco, explorando, a criança ganha autoconfiança e percebe que consegue fazer as coisas. Apesar do medo, ela agirá.

 “Você está contente com o que fez?”

Perguntar à criança como ela se sente é uma maneira de entendê-la melhor, de compreender que percepção ela tem de si mesma. É importante que a criança conheça nossos sentimentos, nossas impressões, mas sem julgamentos.

Falar: “seu desenho parece muito bonito” é uma maneira de expressar nossos sentimentos, nossa opinião. Por outro lado, dizer: “que bonito é seu desenho!” configura-se uma afirmação. Portanto, nesse caso, agimos como juízes, o que não é legal.

 “De verdade: parece que você organizou muito bem”

Nosso ponto de vista valoriza o que a criança fez. É o efeito do espelho. A observação deve ser honesta para ser entendida como confiável pela criança. Não há necessidade de adicionar superlativos exageradamente. Elas percebem melhor a realidade quando há sinceridade.

 “Esta é minha preocupação”

É preferível explicar o perigo antes de frustrar o impulso das crianças, Geralmente, os pais ficam angustiados por causa dos filhos, pensando que estão protegendo-os. Que mãe já disse: “não suba aí, que você vai cair”? A criança não entende a negação; por isso a frase se configura na melhor forma de fazer com que ela caia.

A alternativa seria dizer: “mantenha-se longe deste muro, porque ele é muito alto e tenha cuidado com o buraco”. Sem negação e de maneira realista, a criança entende melhor as coisas.

 “Venha comigo, vamos fazer juntos”

Quando a criança se sente confiante, o medo desaparece. Isso faz com ela aja e encare os desafios. Nós também podemos dizer: “tente fazer, eu confio em você”, para desenvolver a autonomia.

Frases proibidas:

“Você é o mais forte”

Quando a criança acredita nisso, ela se coloca em uma relação de poder com as outras. Quando não acredita, é porque sabe que a afirmação não está baseada em fatos concretos. Dessa forma, ela perde a autoestima.

“Supere os seus limites”

Os pais costumam esperar muito dos filhos. Fazem isso e aquilo sem se preocupar em respeitar o ritmo físico e fisiológico deles. Não se pode impor à criança que ela se esforce até o extremo. Levando em conta as características da criança, podemos colocar seus pés no chão se ela se sente muito confiante ou motivá-la, caso ela não tenha total segurança diante de um desafio.

Tags:
Educação dos FilhosFamíliaFilhos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
4
Pe. Edward Looney
Padre revela: por que sempre levo água benta comigo ao viajar
5
MAN
Reportagem local
Oração da noite para serenar o espírito e pacificar a ansiedade
6
sacerdotes
Reportagem local
Suicídio de sacerdotes: desabafo de padre brasileiro comove as re...
7
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia