Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Morador de rua encontra bolsa perdida e passa dois dias procurando a dona

Compartilhar

Dentro da bolsa, encontrada do lado de fora de um bar, tinha até um iPhone

Um morador de rua passou dois dias tentando localizar uma mulher que havia perdido a sua bolsa. Segundo Daisy Owen, de 20 anos, o gesto de Paul Calderbank “restaurou sua fé na humanidade”. Dentro da bolsa, perdida durante uma saída à noite na cidade de Bolton, na Inglaterra, estavam seus documentos, dinheiro e um iPhone.

Paul encontrou a bolsa do lado de fora de um bar e imediatamente começou a procurar por sua dona. Ele percorreu as ruas da cidade perguntando a pessoas que pareciam da idade de Daisy se elas a conheciam. Para evitar que outros sem-teto ou policiais achassem que ele tinha roubado o objeto, Paul não voltou para o albergue em que vive antes de devolvê-lo e ainda escreveu um bilhete, que fixou na bolsa.

O bilhete dizia: “Eu quero localizar a dona dessa bolsa e devolver pessoalmente a ela todos os seus pertences, porque agora sou uma pessoa honesta e me sinto bem fazendo a coisa certa. Há dinheiro na bolsa e eu não peguei nem um centavo. Essa garota vai ficar muito feliz por alguém lhe ter devolvido todos os seus pertences. Mal posso esperar por dar uma de detetive e encontrar a garota pessoalmente”.

Na bolsa havia também o endereço de Daisy – caminhar até a casa dela seria o último recurso de Paul. Entretanto, ele conseguiu encontrar amigos da garota antes de chegar lá. Os amigos se encarregaram de marcar o encontro entre Daisy e Paul.

“Estou muito grata e feliz por ainda existirem pessoas como ele no mundo”, disse Daisy em um post no Facebook. “Ele é sem-teto e está morando em um albergue e mesmo assim não pegou um centavo”.

Entusiasmada com o gesto de Paul, Daisy deu início a uma campanha online de levantamento de fundos para oferecer ao sem-teto alimentação, roupas novas e o necessário para que ele consiga alugar um pequeno apartamento. Em 14 dias, ela já levantou mais de 11 mil reais – superando as expectativas da campanha. “Estou determinada a dar um lar para esse homem”, disse Daisy.

(via Sempre Família)