Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 19 Outubro |
Santos Mártires Canadenses
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Medo, tensão e patriotismo nas ruas da Espanha

CATALONIA PROTEST

M. Baris Paksoy | Citizenside | AFP

Agências de Notícias - publicado em 08/10/17 - atualizado em 08/10/17

“Ultimamente, tenho medo de ver como uns ameaçam os outros e não baixam a guarda, isto pode terminar em uma ruptura"

Entre ansiosos e irritados, milhares de espanhóis saíram às ruas neste sábado vestidos de branco ou enrolados na bandeira nacional, para mostrar sua rejeição a uma independência unilateral da Catalunha.

Com manifestações em Madri, Barcelona e outras cidades, deixaram à mostra a ansiedade de anos de desconfiança entre a região do nordeste da Espanha e o restante do país.

Agitando bandeiras brancas e vestindo roupas da mesma cor, milhares de pessoas pediram ao chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy, e ao presidente catalão, Carles Puigdemont, que dialoguem e ponham fim ao conflito.

Outros manifestantes, agitando bandeiras da Espanha, vociferaram patriotismo.

– Raiva –

Sob um mar de bandeiras espanholas, 50 mil manifestantes reunidos na Plaza Colón, centro de Madri, gritavam “Viva Espanha!” e “União nacional!”, em meio ao som de tambores.

Irritados com os separatistas catalães, que, no último dia 1º, ignoraram a proibição da Justiça e realizaram um referendo de autodeterminação, mas também temendo que a situação termine em caos, exigiram que os líderes de Madri e Barcelona solucionem a crise.

– Medo –

Os manifestantes criticaram os separatistas catalães por ameaçarem a unidade da Espanha, mas também o governo central, por ter permitido que a situação saísse do controle.

Cenas de policiais espanhóis usaram a violência contra manifestantes decididos a votar no referendo e causaram indignação.

Na capital da Catalunha, Barcelona, onde mais de 5 mil pessoas vestidas de branco se reuniram na praça central Sant Jaume para pedir diálogo, também havia expressões de temor.

“Ultimamente, tenho medo de ver como uns ameaçam os outros e não baixam a guarda, isto pode terminar em uma ruptura social que pode ser grave”, comentou o professor de meditação catalão Pedro Lario, 53.

“Sou catalã, mas sou espanhola e cidadã do mundo”, assinalou a empresária Ana Chueco, 51, que levantava as mãos, pintadas de branco.

– Tensão –

Leves sinais de distensão foram dados ontem, quando o governo central pediu desculpas pelos feridos durante o referendo.

Mas os separatistas catalães pareciam se manter no caminho de uma declaração unilateral de independência, enquanto Madri afirmava que não haverá diálogo até que se desista desta ideia.

“Vivemos com muita tensão, nossas vidas estão embargadas por tudo isso, não sabemos o que fazer com o nosso dinheiro, nem com os nossos empregos, não sabemos o que irá acontecer”, desabafou a professora universitária Alicia Doménec, acompanhada do filho de 3 anos.

“A tensão social não se pode negar, há uma ruptura, fratura, insultos, há a negação do outro”, assinalou na praça lotada, localizada entre as sedes da prefeitura e do governo regional.

– Tristeza –

Em outra manifestação pelo diálogo, na praça Cibeles, em Madri, a atriz Marta Muro, 67, lembrou as mortes na época de atividade da organização separatista armada basca ETA.

“Fico triste pensando em que país ruim temos, que governo mais ruim. Não tenho nada contra os catalães. Eles deverão ser ouvidos com respeito”, disse.

– Ódio –

A estudante Natalia Bermejillo, 21, estava sentada com três amigos perto da Plaza Colón. Disse não ter vergonha de participar de uma manifestação que incluiu pequenos grupos de extrema direita, já que eles defendem “a mesma causa”.

“Na Catalunha, o que ensinam aos filhos é o ódio em relação à Espanha. É uma ideologia muito extremista”, afirmou.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
2
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
3
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
4
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
5
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
6
Reportagem local
O grande crucifixo submerso que só pode ser visto quando o lago c...
7
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia