Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Aparecida: 300 Anos de Bênçãos

Jovens Conectados
Compartilhar

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, continua a repetir a seu Filho o que cada brasileiro(a) mais precisa

Celebramos, neste mês, o tricentenário do milagroso encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, nas águas do Rio Paraíba do Sul, em um fato que muito se assemelha ao episódio da Pesca Milagrosa do Evangelho (cf. Lc 5,1-11).

Com efeito, na passagem bíblica, os pescadores – portanto homens entendidos da arte de pescar – trabalharam a noite inteira sem êxito, e quando já se encontravam à beira do desânimo, apareceu o Senhor Jesus e os mandou, um vez mais, lançar as redes.

Ora, eles, que eram, de certo modo, profissionais da pesca, devem ter ficado surpresos. No entanto, não O contrariaram (aqui já é a graça trabalhando em cada um). E Pedro, em nome dos colegas, deu uma resposta bem sintomática: “Porque mandas, lançarei as redes”. E veio a surpresa: tamanha quantidade de peixe que as redes e as barcas quase não davam conta. Foi a pesca milagrosa!

Em Aparecida, há cena similar: importante autoridade política passaria pela região e os pescadores deveriam trazer-lhe uma quantidade de peixes suficiente para as refeições. Contudo, não obstante o grande esforço, por longo tempo, nada pescaram. Eis, porém, que também uma surpresa aconteceu: as redes recolheram o corpo da imagem da Virgem Maria e, na próxima lançada, trouxe a cabeça da mesma imagem.

Animados pelo ocorrido lançaram, novamente, as redes e pegaram uma grande quantidade de peixes que dava, suficientemente, para atender ao pedido da autoridade. É certo que o fato se espalhou e a veneração da imagem – não sem perseguições – foi se difundindo junto à ocorrência de novos grandes milagres.

Ainda hoje, na celebração dos 300 ano de bênçãos, é certo que Nossa Senhora da Conceição Aparecida, continua – como nas Bodas de Caná (cf. Jo 2,1-12) – a repetir a seu Filho o que cada brasileiro(a) mais precisa. E Ele, certamente, a atende. Já a nós ela pede: “Fazei tudo o que ele [Jesus] vos disser”. Nós também a atendemos?

Vanderlei de Lima é eremita na diocese de Amparo