Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Católicos da Polônia cercam as fronteiras do país para rezar o rosário

Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Total de Pontos

“Temos que proteger nossas famílias da descristianização que querem nos impor. E edificamos uma barreira espiritual contra o perigo do terrorismo”

Centenas de milhares de católicos poloneses foram neste último sábado até as fronteiras do país para rezar o rosário com uma intenção especial: salvar a Polônia e o mundo. A iniciativa foi promovida pela fundação Só Deus Basta.

A data, 7 de outubro, não foi escolhida por acaso: é o dia de Nossa Senhora do Rosário e a celebração da vitória cristã na batalha de Lepanto, em 1571, contra os otomanos que tentavam invadir e dominar a Europa. Essa vitória foi atribuída desde então à oração do rosário, “que salvou a Europa da islamização”, conforme recordam os representantes da fundação Só Deus Basta, criada por dois jovens cinegrafistas.

Participaram do “Rosário nas Fronteiras” 22 dioceses. Os fiéis se reuniram em cerca de 200 igrejas para participar primeiro de uma conferência e da Santa Missa, antes de se dirigirem às fronteiras para rezar o rosário.

O objetivo era cobrir os 3.511 km de fronteiras da Polônia com a Alemanha, a República Tcheca, a Eslováquia, a Ucrânia, a Bielorrússia, a Lituânia, a Rússia e o mar Báltico. Os organizadores esperavam a presença de um milhão de pessoas nas fronteiras, mas seria muito complexo contabilizar os participantes.

Para o porta-voz da Conferência Episcopal Polonesa, pe. Pawel Rytel Andrianik, o propósito não era quantitativo, mas qualitativo: oferecer uma oração pela paz no mundo por intermédio de Nossa Senhora. Diante de algumas críticas enviesadas de xenofobia e islamofobia, o pe. Pawel esclareceu:

“Não se trata de nos fecharmos aos outros. Pelo contrário: ir até as fronteiras com o rosário é para derrubar os muros, é para nos abrirmos aos russos, aos bielorrussos, aos eslovacos, aos ucranianos e aos alemães”.

Já para alguns militantes católicos considerados nacionalistas, a iniciativa faz parte, sim, de uma explícita reação católica ao expansionismo islâmico no continente europeu. Marcin Dybowski, editor de livros religiosos e responsável pela Cruzada do Rosário pela Pátria, declarou à agência AFP:

“A Europa está sendo invadida pelo islã, que não respeita os nossos costumes, a nossa civilização. Os atentados deixam centenas de vítimas. A Europa só finge que protege as suas fronteiras. Mas a verdade é que ela não tem fronteiras. Merkel as escancarou. A Polônia está em perigo. Temos que proteger as nossas famílias, nossas casas, nosso país, de todo tipo de perigo, mas também da descristianização da nossa sociedade que os liberais da União Europeia querem nos impor. A Áustria e a Hungria levantam muros de arame farpado contra os refugiados. Nós edificamos uma barreira espiritual mediante a oração contra o perigo do terrorismo”.

As seguintes imagens, publicadas pelo blog Senza Pagare, falam por si:

____________

Com informações da agência AFP (em espanhol)

Imagens via blog Senza Pagare

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições