Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 20 Setembro |
home iconAtualidade
line break icon

“Eu tenho Síndrome de Down e não deveria precisar justificar a minha existência”

Frank Stephens Global Down Syndrome Foundation

Frank Stephens - Captura de Tela do YouTube

Reportagem local - publicado em 08/11/17

Em avassalador discurso de 7 minutos, talentoso rapaz com a síndrome dá recado aos "progressistas" que querem eliminá-la matando gente

O discurso de 7 minutos de Frank Stephens no Congresso dos Estados Unidos deu a volta ao mundo e pode ser um bom safanão na consciência endurecida dos autodenominados “progressistas” que consideram “um grande avanço” eliminar do mundo a Síndrome de Down mediante a eliminação das próprias pessoas com Síndrome de Down.

Frank Stephens é ator, escritor, porta-voz da Global Down Syndrome Foundation e membro da equipe administrativa da Special Olympics no Estado da Virgínia. Ele mesmo tem a síndrome – e uma vida com mais conquistas e realizações do que a média das pessoas sem a síndrome.

Seu discurso começou bem direto:

“Quero dizer que não sou cientista nem pesquisador. Mesmo assim, ninguém sabe mais da vida de uma pessoa com Síndrome de Down do que eu. Seja o que for que vocês aprenderam hoje, lembrem-se disso: eu sou um homem com Síndrome de Down e a minha vida vale a pena”.

Esse “lembrete” é dirigido à absurda ideia de que um bebê pode ou até deve ser abortado pelo simples fato de ter Síndrome de Down. Sim, há gente que defende essa ideia – e financia a sua prática. Ainda mais assustador: há governos que apoiam a sistemática eliminação dos bebês cuja síndrome é diagnosticada. Recentemente, foram divulgadas as chocantes estatísticas que apontam a Dinamarca e a Islândia como países em que 100% dos bebês com Síndrome de Down são exterminados mediante o aborto.

Para Frank, existe uma opinião estendida a respeito das pessoas com Síndrome de Down que é “profundamente influenciada por um preconceito ultrapassado”. Ele começa a desmontar esse preconceito contando um pouco da própria vida:

“Eu tenho uma vida muito interessante. Já dei aula em universidades, atuei num filme premiado, num programa de televisão premiado no Emmy e dei palestra a milhares de jovens sobre o valor da inclusão. Visitei duas vezes a Casa Branca e não precisei pular a cerca. Realmente, acho que eu não precisaria justificar a minha existência”.

Mesmo não precisando justificar a própria existência, Frank citou três argumentos que destacam o valor das pessoas com Síndrome de Down:

1 – “Nós somos um presente médico para a sociedade, um plano para a pesquisa médica sobre o câncer, o Alzheimer e os transtornos do sistema imunológico“. 2 – “Somos uma fonte incomum e poderosa de felicidade. Sem dúvida, a felicidade tem valor“. A referência é um estudo da Universidade de Harvard apontando que as pessoas com Síndrome de Down, bem como os seus pais e irmãos, percebem a vida com um grau de felicidade maior que o normal. 3 – A existência das pessoas com Síndrome de Down é um testemunho e um alerta: “Nós somos o canário na mina de carvão. Damos ao mundo a oportunidade de pensar sobre a ética de escolher quais seres humanos merecem uma oportunidade de viver“.

Para encerrar, Frank fez menção à “Solução Final”, termo que descreve a política nazista de extermínio genocida de judeus e outras minoras, e exortou seus compatriotas:

“Sejamos os Estados Unidos, não a Islândia nem a Dinamarca. Busquemos respostas, não ‘soluções finais’”.

O recado está dado – e muito bem dado.

___________

A partir de artigo do site Actuall

Tags:
Cultura do descarteIdeologianazismoSíndrome de down

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Exorcista padre Gabriele Amorth
Gelsomino Del Guercio
Os assombrosos diálogos entre o diabo e um exorcista do Vaticano
7
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia