Aleteia

Brigitte Bardot: “Os jovens estão anestesiados”

Fondazione Brigitte Bardot
Compartilhar
Comentar

Nesta entrevista para a Aleteia, a ex-modelo e atriz fala sobre Deus, Nossa Senhora e proteção aos animais

A Aleteia entrou em contato com Brigitte Bardot para falar sobre sua relação com Deus, com Maria e seu envolvimento com a causa da proteção aos animais. Segundo ela, os humanos se “desumanizaram”. E os jovens? Para ela, a maioria está “anestesiada”. Mas, apesar de tudo, há esperança.

O amor pelos animais e a defesa deles lhe são inatos?

Sim, nasci com isso, estão em meus genes. Eu sofri muito na minha infância por não ter tido um animal. Era a Segunda Guerra Mundial, vivíamos com meus pais em um apartamento em Paris e já tínhamos dificuldade para sobreviver, imagine com um animal.

Você sonha com um mundo em que animais e homens sejam mais unidos?

Sim, sonho. Mas o homem sempre assustou os animais.

Brigitte Bardot é uma mulher de atitude. Vê o mundo como é e quer mudá-lo. Isso é possível sem a cumplicidade dos animais?

Infelizmente, eu não tenho o poder de mudar o mundo. Mas posso fazer algumas mentalidades avançarem. Muita gente considera que os animais são um objeto de lucro ou de prazer. Temos que fazer essas pessoas compreenderem que, como os humanos, os animais sentem intensamente a dor, o prazer, o desespero e o bem-estar. Seus instintos são extremamente sensíveis e desenvolvidos.

Os animais foram criados para ter seu lugar no mundo. Fazem parte da cadeia ecológica e promovem o equilíbrio entre as espécies.

O homem tem destruído essa cadeia, e já não respeita mais os territórios dos animais.

Quais são os valores que alguns humanos perderam?

Os humanos se desumanizaram, se multiplicaram de maneira invasiva e inquietante, sem respeito à natureza, expulsando os animais para se apropriarem de seus territórios e devastando a paisagem. Essa é minha opinião sobre esta humanidade que só dá valor ao dinheiro.

Você é uma combinação de ética e estética. Você acredita que a beleza e a justiça podem salvar o mundo?

Olha, a beleza é rara, a degeneração humana me deixa consternada, é feia. Sobre a justiça, ela saiu de férias e não voltou.

O que você pensa sobre estas as palavras do Papa sobre a ecologia: “Nunca maltratamos nem provocamos tanto prejuízo à nossa casa comum como nos dois últimos séculos”?

Agradeço ao Papa por ter se pronunciado essas palavras indispensáveis para a sobrevivência da humanidade. Concordo totalmente com o ponto de vista dele. Mas acredito que é muito tarde e que o processo do fim do mundo já começou.

Você sente algum desejo ou alguma necessidade espiritual?

Estou sob a proteção de Nossa Senhora, a quem tenho total devoção. Eu fiz uma capela dedicada a Ela no meio dos pinos selvagens do meu jardim e ali me refugio sempre que posso.  Eu me dirijo diretamente a Deus ou à pequena Virgem sem passar jamais por intermediários humanos.

 Uma palavra para as novas gerações? O que você gostaria de dividir com eles?

A maioria me parece de outro planeta. Anestesiados e afetados por suas negligências e pelas drogas perigosas. Mas àqueles que ainda parecem normais peço um pouco de empatia, respeito, amor pela fragilidade dos animais, reconhecimento, fidelidade. Eu os escolhi porque eles nunca me decepcionaram.

Fundação Brigitte Bardot

 

Compartilhar
Comentar
Boletim
Receba Aleteia todo dia