Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O dia em que um santo católico deu uma bronca épica no Monstro do Lago Ness

Compartilhar

Será por isso que o bicho "quase" nunca mais foi visto desde então?

São Columba viveu no século VI e é recordado como um influente missionário irlandês que ajudou a levar o cristianismo até a Escócia.

É fato que ele fundou mosteiros e igrejas na região, mas a tradição popular também lhe atribui um mérito adicional – e bastante peculiar: ter enfrentado uma criatura misteriosa e monstruosa que habitava as margens do Rio Ness, o curso d’água de poucos quilômetros de extensão que flui do extremo norte do Lago Ness rumo a Inverness.

O inusitado encontro é registrado em uma biografia de São Columba escrita no século VII.

Narra o texto que, certo dia, quando passava pelo Rio Ness, São Columba viu um grupo de pessoas enterrando um homem que teria sido atacado por um monstro enorme, habitante do rio. O monge resolveu investigar. Não demorou muito para que o monstro emergisse das águas com a provável pérfida intenção de engolir outro homem que nadava no rio!

Foi então que o bravo São Columba levantou a mão sagrada e, invocando o nome de Deus, fez no ar o sinal salvífico da cruz e ordenou ao monstro feroz:

“Não avançarás nem tocarás no homem! Recua imediatamente!”

E assim, à voz do santo, o monstro fugiu tão rápido como quem é puxado violentamente por uma corda.

A lenda prossegue e relata que, ao verem os homens que o monstro recuara e que o seu companheiro Lugne retornava são e salvo até eles no barco, foram tomados de admiração e deram glória a Deus por ter-lhes enviado aquele homem ungido. E mesmo os bárbaros pagãos ali presentes foram tocados pela grandeza do milagre que tinham vislumbrado com os próprios olhos, passando a glorificar o Deus dos cristãos.

O episódio lendário é considerado o primeiro relato escrito sobre o monstro do Lago Ness, mítico animal que, a não ser por uma fraude aqui e outra acolá, permanece bem oculto nas profundezas até hoje.

São Columba 1 x 0 Monstro do Lago Ness!

A propósito: é muito curioso observar que, lendas e fraudes à parte, até hoje não foi 100% descartada pelos pesquisadores a possibilidade de que exista mesmo alguma criatura misteriosa nas águas do Lago Ness. E, a cada certo tempo, ressurgem rumores de alguém que viu “alguma coisa” por lá…

Tags:
Santos