Aleteia

Ele já foi incendiário de igreja e agora trabalha com a Igreja pelos pobres

Almoço de Natal com os pobres - Patriarcado de Veneza
Patriarcado de Veneza
Compartilhar

É melhor trazer as pessoas para o lado da solução em vez de mantê-las do lado do problema!

Um tribunal de Veneza o sentenciou a prestar serviços à comunidade: durante sete meses, ele deveria ajudar no refeitório “Papa Francisco”, mantido pela Cáritas em Marghera, norte da Itália, para servir aos pobres. A Cáritas é uma das maiores instituições de caridade cristã e ajuda humanitária da Igreja no mundo todo (trata-se da mesma instituição que recentemente foi atacada pelo ditador venezuelano Nicolás Maduro – confira aqui).

O homem de 55 anos, ele próprio um sem-teto que recebia auxílio da Cáritas, tinha sido julgado por… tentar incendiar uma igreja.

Tudo começou, segundo o seu depoimento, numa ocasião em que ele apareceu no refeitório da Cáritas quando já estava fechado. Ele resolveu então “se vingar” – embora o refeitório só tivesse cumprido o próprio regulamento, que é publicamente divulgado. Entrou numa igreja vizinha, a do Santíssimo Nome de Jesus, em Veneza, e ateou fogo à toalha do tabernáculo.

As chamas atingiram a base de madeira do altar, danificando também o sistema de som da igreja, cuja instalação passava por ali.

O Patriarcado de Veneza optou por oferecer ao réu a oportunidade de compensar os danos mediante trabalhos de utilidade pública.

Afinal, é também uma forma de trazer as pessoas para o lado da solução em vez de mantê-las do lado do problema.

Boletim
Receba Aleteia todo dia