Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Salvo por um gandula do time adversário

CHILD
Compartilhar

Moisés Aguilar: o menino que o mundo do futebol está admirando

Jogo entre La Palma CF e UP Viso (terceira divisão do Campeonato Espanhol). Aos 40 minutos do segundo tempo, o jogador do UP Viso, Alejandro Pinedo, sentiu uma forte falta de ar depois de uma bolada no peito. Naquele momento, o jovem gandula Moisés Aguilar, do La Palma CF, invadiu o campo. Sem titubear, ele deitou no chão para servir de “almofada humana”, a fim de que o jogador pudesse respirar melhor até ser atendido.

Alguém registrou o momento, tirou uma foto e publicou na internet. A fotografia viralizou e o clube La Palma CF reconheceu Moisés Aguilar como exemplo do trabalho desenvolvido pelo time junto às crianças.

O menino tem só 12 anos e exerce a função de gandula nos jogos da equipe principal. Seu gesto o deixou famoso e esse, provavelmente terá sido seu “gol” mais importante. Ao jornal local huelva24.com, o garoto explicou a atitude: “Vi que, daquela forma, já tinham salvado vidas e não pensei duas vezes. Todo mundo está me cumprimentando, todos estão contentes com meu gesto e o colégio fez até um vídeo comigo”. Moisés ainda acrescentou: “Quero dizer a todas as crianças que jogam futebol que as cores não importam e que também é preciso ajudar o adversário, se ele necessitar”.

A ideia de servir como “almofada humana” veio depois que ele viu esta técnica de primeiros socorros nos vídeos de futebol sul-americano e rúgbi no Youtube. O que ele fez foi simples: colocar em prática o que aprendeu nos vídeos.

Muito se fala sobre os valores do esporte e como as crianças imitam muitos gestos dos atletas de elite. Este caso é um bom exemplo. Um bom exemplo de fair play, que também poderá inspirar outras crianças e profissionais dos esportes.