Aleteia

O testemunho de 8 crianças que alcançaram a santidade

São José Sánchez del Río, São Domingos Sávio e os Santos Jacinta e Francisco Marto / Foto: Templo de São José Sánchez del Río - Wikipédia (Domínio Público)
Compartilhar
Comentar

A idade não é um impedimento para alcançar a santidade e isso é o que demostraram estas oito crianças que se destacaram pelo seu testemunho de piedade, fidelidade e amor a Deus

Santos Jacinta e Francisco Marto

Junto com sua prima Lúcia, Jacinta e Francisco Marto testemunharam as aparições da Virgem Maria em Portugal de 13 de maio a 13 de outubro de 1917. Eles tinham 9 e 7 anos, respectivamente.

Durante esses acontecimentos, os pastorinhos suportaram com coragem as calúnias e as perseguições e realizaram várias mortificações. O pequeno Francisco passava muito tempo diante do sacrário, rezava para consolar Deus pelos pecados da humanidade, enquanto Jacinta ia à Missa todos os dias e oferecia a comunhão pelos pecadores.

Jacinta e Francisco ficaram doentes com pneumonia brônquica durante uma epidemia na região. Ele morreu em 1919 e sua irmã um ano depois.

São Domingos Sávio

São Domingos Sávio queria ser sacerdote desde pequeno e, depois de conhecer Dom Bosco, entrou no Oratório de São Francisco de Sales, em Turim, Itália.

O menino se destacou pela sua intensa vida espiritual, sua alegria e a sua vontade de ajudar os outros, especialmente a sua família. Ele costumava dizer com frequência: “Quero ser santo!”.

Ficou doente e, a pedido dos médicos, teve que deixar o oratório e voltar para a sua casa. Antes de morrer, em 9 de março de 1857, disse: “Que coisa tão formosa vejo!”. Faltavam poucas semanas para completar 15 anos.

São José Sanchez del Rio

São José Sánchez del Río foi uma criança que, por amor a Jesus, se uniu aos Cristeros, um grupo armado de milhares de católicos que defenderam a sua fé durante a perseguição religiosa perpetrada no México, na segunda década do século XX.

“Joselito”, como é conhecido em seu país, serviu aos Cristeros – que inicialmente não quiseram aceitá-lo porque era jovem e pelo perigo ao qual estaria exposto – como porta-estandarte da imagem da Virgem de Guadalupe, mas não chegou a participar ativamente nos confrontos armados.

Quando tinha 14 anos, foi torturado e assassinado em 10 de fevereiro de 1928 pelos oficiais do governo de Plutarco Elías Calles, porque se recusou a renunciar a sua fé.

Santa Maria Goretti

Santa Maria Goretti cresceu em uma família pobre em bens materiais, mas rica na fé.

Quando tinha apenas 11 anos, foi apunhalada por Alessandro Serenelli, um jovem de 19 anos, porque se negou a ter relações sexuais com ele.

Em 6 de julho de 1902, antes de morrer, ela perdoou o seu assassino, que foi preso. Enquanto estava na prisão, Alessandro se arrependeu do seu crime.  Quando saiu, foi procurar a mãe de Maria para pedir-lhe perdão.

Alguns anos depois, colaborou dando o seu testemunho para a causa da beatificação de Maria. Também foi admitido na ordem terceira de São Francisco.

Santos Cristóbal, Antonio e Juan, filhos dos mártires de Tlaxcala

Os santos Cristóbal, Antonio e Juan, foram assassinados por ódio à fé no México, entre 1527 e 1529. Eles são considerados os primeiros mártires da América.

Cristóbal era filho do cacique Acxotecatl e conhecia a fé católica graças ao trabalho evangelizador que os frades franciscanos realizavam na região entre 1524 e 1527. Depois de ser batizado, trabalhou pela conversão da sua família, mas seu pai ficou com raiva. Morreu aos 12 anos devido aos golpes e queimaduras perpetrados ??pelo seu pai.

Antonio e Juan receberam a formação dos franciscanos e dominicanos. Ambos tentaram erradicar a adoração de ídolos no seu povoado Tizatlan e nas aldeias próximas. Foram descobertos pelos habitantes de Cuautinchán, que os assassinaram com golpes.

 

(via ACIdigital)

Compartilhar
Comentar
Boletim
Receba Aleteia todo dia