Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 18 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Dicas para sobreviver ao desemprego quando isso atingir sua família

MAN SAD

Nong Mars - Shutterstock

Luz Ivonne Ream - publicado em 06/12/17

Sim, é estressante e assustador, mas mudar sua atitude faz a diferença

“Eu prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza…”. Esta é uma promessa de amor que os cônjuges fazem no dia do casamento, e é difícil entender seu significado até que passamos por momentos difíceis.

Nós dois dissemos “na alegria e na tristeza”, e quando nosso cônjuge de repente acaba desempregado, essa promessa vem à tona. É difícil? Claro! Mas também é possível seguir essa promessa. É uma questão de escolher amar, mesmo que estivermos sentindo decepção e incerteza. Precisamos de muita força de vontade, uma boa mudança de atitude, e confiança para atravessar esse tempo com esperança, espírito positivo e – se você é um crente – com a graça de Deus.

Mas o que acontece quando essa segurança econômica é afetada pela perda de emprego do cônjuge e a renda familiar está ameaçada?

Para começar, precisamos mostrar nosso valor e ter total empatia pela pessoa com quem compartilhamos nossa vida. Porque se você está tendo dificuldade, apenas imagine como seu cônjuge está se sentindo. Há duas coisas que são o calcanhar de Aquiles, particularmente para os homens: o primeiro é se divorciar e perder sua casa; o segundo é o fracasso em seu trabalho.

Se o seu cônjuge atravessa uma situação que por si só já é dolorosa e ainda encontra reprovações e exigências em casa, ele se sentirá como uma falha total. As coisas vão piorar, e o que começou com a perda do trabalho e uma crise financeira se tornará uma crise pessoal muito mais profunda.

Em uma casa, essas experiências – perder um emprego ou uma crise financeira – podem se tornar uma oportunidade para aprender com todas as lições ocultas. Uma delas serve para ver se o nosso amor está fundado na areia ou em uma pedra sólida. E, se você é crente, perceberá quem está no centro do seu casamento: o Deus a quem prometeu fidelidade, mesmo nos momentos mais sombrios… ou outros deuses, como o dinheiro.

Abaixo estão algumas sugestões para ajudar você a superar esses tempos difíceis de desemprego.

  • Seja o auxílio, o apoio que seu marido precisa. Se você sentir incerteza e ansiedade, acredite em mim que ele se sente sobrecarregado por dentro. Na medida em que você é capaz, tente esquecer seu próprio sofrimento por um tempo e se concentrar no dele. Posso garantir que a única coisa que ele precisa é o seu amor e apoio incondicional.
  • Atitude positiva. Vá da incerteza à certeza. Faça o que você precisa fazer para trazer alegria de volta ao seu coração – e à sua casa – e ajude-o a estar mais em paz. Incentive-o, já que você é uma de suas maiores motivações para continuar tentando. Se ele gosta de bolo de chocolate, faça para ele como uma surpresa e organize um jantar romântico – dentro do seu orçamento, é claro. Esses pequenos gestos são apenas uma maneira de mostrar-lhe que, independentemente das circunstâncias em que ele está passando, ele ainda é prioridade na sua vida e você sempre fará o que puder para fazê-lo feliz e para tirar um sorriso dele.
  • Diga-lhe novamente o quanto você o ama, e acima de tudo, assegure-lhe que você o ama por quem ele é e não pela renda que ele traz para casa. Deixe-o saber que seu amor é incondicional. Constantemente dê suas palavras de amor e motivação, frases que o ajudarão a sair daquela queda. Diga-lhe o quanto você o admira e que, não importa o que aconteça, você confia nele e na sua capacidade de cuidar de sua família.
  • Lembre-se sempre que isso é um momento “ruim”. Nunca, em qualquer circunstância, o ofenda, dizendo-lhe que ele é um fracasso, medíocre ou qualquer coisa desse tipo. Em vez de motivá-lo, essas palavras poderiam se tornar um detonador para decisões ruins. Ao invés disso, repita para ele que isso é apenas uma mudança e que vocês conseguirão passar por isso juntos porque seu amor é sólido o suficiente para lidar com isso e muito mais. Respeito nunca deve faltar no seu relacionamento.
  • Deixe-o respirar. “Eles dizem que os homens não devem chorar…”. Que besteira! Infelizmente, a maioria dos homens foi criado para manter suas emoções para si mesmos – reprimindo-as – e isso é extremamente perigoso, porque todos os sentimentos que eles guardam podem se tornar uma bomba relógio que mais tarde explode em doenças ou ataques cardíacos. Ajude-o a reconhecer o que ele sente. Ajude-o a colocar um nome para cada emoção, para cada sentimento que ele está carregando. Ajude-o a encontrar maneiras de libertar seus sentimentos, seja chorando ou gritando em algum lugar seguro, ou indo à academia e batendo em um saco de pancadas ou apenas falando. Se o seu cônjuge está dando permissão a ele mesmo para sentir, deixe-o fazer isso. Fique ao lado dele sem tocá-lo, sem abraçá-lo, até que ele peça isso a você. Deixe-o entender tudo.
  • Tente apoiá-lo economizando. O que mais você pode fazer para esticar os recursos familiares um pouco mais? Se você conseguir, tente arrumar algum trabalho para contribuir com a família.
  • Tenha uma reunião com seus filhos (se eles tiverem idade suficiente) e explique a situação. Fale com eles claramente sobre o que está acontecendo. Diga-lhes que todos precisarão reestruturar as finanças da sua família, mas o mais importante não é a austeridade que você terá que viver, mas o esforço para mostrar total empatia, amor e respeito pelo pai ou mãe que perdeu o seu trabalho. Afinal, ele ou ela é quem mais precisa do apoio da família.

Quando chegar momentos difíceis, lembre-se de como facilmente você amava seu cônjuge quando havia bastante dinheiro. As coisas podem ter mudado um pouco, mas continue amando. Seu cônjuge não mudou; o que mudou são as circunstâncias. Confie que você irá superar isso… juntos.

Tags:
CasamentoTrabalho
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia