Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 18 Setembro |
São José de Cupertino
home iconAtualidade
line break icon

Padre recusa título honorífico e manda carta fulminante à Câmara de Vereadores

Padre Miguel Lucas da Costa

Reportagem local - publicado em 07/12/17

"Se é para ser cidadão mendigando cesta básica, passagem para ir ao médico, dinheiro para comprar um remédio, um serviço para ganhar trocado, NÃO ACEITO".

O padre Miguel Lucas da Costa, natural do Estado brasileiro do Ceará, está em missão há mais de três anos na cidade de Boca do Acre, que, embora se localize no sul do Estado do Amazonas, faz parte da diocese de Rio Branco, a capital acreana.

Um texto fulminante do sacerdote vem circulando desde novembro pelas redes sociais.

Padre Miguel Lucas da Costa,  Boca do Acre AM
Padre Miguel Lucas da Costa

A pedido do vereador José Silva Noronha (PSD), ele receberia da Câmara Municipal de Boca do Acre o título de “Cidadão Bocacrense“. O padre Miguel, no entanto, recusou a honraria e, para explicar seus motivos, escreveu a carta retumbante que compartilhamos a seguir – porque é válida para todos os políticos, do país inteiro, que ainda não entenderam as reais e urgentes obrigações que têm para com o povo que supostamente representam.

Eis a carta com a claríssima mensagem do pároco:

Eu, Pe. Miguel Lucas da Costa, pároco da Paróquia São Pedro Apóstolo, em Boca do Acre – Amazonas, pertencente à Diocese de Rio Branco – Acre, venho através desta expressar a NÃO ACEITAÇÃO do TÍTULO DE CIDADÃO BOCACRENSE, a ser concedido pela Câmara Municipal dos Vereadores desta cidade de Boca do Acre.Como posso receber um título de cidadão, se os cidadãos naturais não têm os seus direitos respeitados? Como se sentir um cidadão se os cidadãos próprios de Boca do Acre, principalmente os mais pobres, levam uma vida de miseráveis?Se vou me tornar um cidadão, gostaria de viver como cidadão, com os direitos básicos garantidos: saúde, emprego, educação, saneamento básico.Agora, se é para ser cidadão como os cidadãos de Boca do Acre vivem, mendigando cesta básica, uma passagem para ir ao médico em Rio Branco, uma ajuda para uma cirurgia, um dinheiro para comprar um remédio, um serviço para ganhar um trocado, NÃO ACEITO.Como posso abrir a boca e bater no peito e dizer orgulhosamente que sou Cidadão Bocacrense quando vejo o povo padecer por não ter um hospital digno, onde a saúde é péssima, ruas esburacadas e tomadas pela lama, esgoto a céu aberto, água sem tratamento e o pior: localidade que, devido à distância, nem água tem para o consumo diário. Viver dessa forma é ser cidadão? Se é, NÃO ACEITO SER.Gostaria, sim, que, em vez de aprovarem o título de Cidadão para mim, aprovassem PROJETOS que venham a favorecer a vida do povo, principalmente dos mais pobres, que são humilhados sem o necessário para a sua sobrevivência.O povo, quando elege um vereador, tem a esperança de que as coisas vão mudar. Acredita que não está sozinho na luta por dias melhores, pois o vereador iria representá-lo e reivindicar os seus direitos.Isso, na grande maioria, se torna uma frustração para o povo, pois os seus representantes representam-se a si mesmos.Um dia, quem sabe, poderei receber esse tão nobre título de Cidadão Bocacrense, se de fato eu puder, assim como os demais cidadãos desta terra querida, desfrutar de uma vida digna, com todos os direitos garantidos, próprios de todo ser humano.Isso é ser Cidadão. Se o povo de Boca do Acre vive como esse cidadão, seria uma imensa alegria para mim também ser cidadão bocacrense.

Além do texto, até imagens da carta original têm circulado pelas redes graças a cidadãos de todos os Estados brasileiros que compartilham da mesma opinião do pe. Miguel.

__________

Com informações do blog Ancoradouro

Tags:
dignidadeIgrejaPolíticasacerdote

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
7
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia