Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Por favor, ajude-nos a manter este importante serviço. APOIE AGORA
Aleteia

Autorizado o culto oficial em Medjugorje, afirma o enviado do Papa Francisco

© P.M WYSOCKI / LUMIÈRE DU MONDE
Compartilhar

Entrevista com o arcebispo Henryk Hoser, enviado especial do Papa ao santuário de Medjugorje

“O culto em Medjugorje está permitido. Não está proibido e não deve ser feito em segredo. Minha missão é precisamente analizar a situação e sugerir melhorias”, afirma o monsenhor Henryk Hoser, arcebispo de Varsóvia-Praga na Polônia e enviado especial do Papa Francisco para a pastoral do santuário de Medjugorje, na Bósnia e Herzegovina – lugar das aparições marianas, que atrai milhões de pessoas desde 1981.

“Hoje, a diocese e outras instituições podem organizar peregrinações oficiais. Não há nenhum problema”, disse o arcebispo em uma entrevista à Aleteia concedida em sua residência, num bairro de Varsóvia.

“O Papa Francisco pediu recentemente a um cardeal da Albânia que desse sua bênção aos fiéis presentes em Medjugorje”, explica.

“Estou completamente admirado pelo trabalho que os franciscanos estão fazendo lá. Eles contam com uma equipe relativamente pequena. São apenas 12 pessoas que fazem um enorme trabalho de acolhida aos peregrinos. Em todos os verões, eles organizam um festival juvenil. Neste ano, participaram 50.000 jovens de todo o mundo, com mais de 700 sacerdotes”.

“As confissões são massivas. Há cerca de 50 confessionários e tudo isso não é suficiente. Essas confissões são muito profundas”.

“Este é um fenômeno. E o que confirma a autenticidade do lugar é a grande quantidade de instituições de caridade que existem ao redor do santuário. Outra dimensão a levar em conta é o grande esforço que se está fazendo em nível de formação cristã. Vários congressos para diferentes públicos (padres, religiosos, casais…) são realizados todos os anos”.

Catholic pilgrims kneel around a statue of Virgin Mary, overseeing the area around a pilgrimage site near the Southern-Bosnian town of Medjugorje on June 25, 2012. The Virgin Mary is said to have appeared the first time here on June 25, 1981, to youths and is since then a magnet for Christians. Medjugorje is located in the Hercegovina region that is mostly populated by Bosnian Catholic Croats. For 31 years, the alleged phenomenon was ignored by Roman Catholic authorities until 2010, when Pope Benedict XVI issued an order to form an investigation team to search for the truth in case of Medjugorje sightings. AFP PHOTO/ ELVIS BARUKCIC / AFP PHOTO / ELVIS BARUKCIC

“O decreto da antiga conferência episcopal da ex-Iugoslávia, que antes da guerra dos Balcãs desaconselhava as peregrinações organizadas pelos bispos em Medjugorje, já não é mais relevante”.

Há outros casos de lugares de aparições, como Kibeho, na Ruanda, onde o bispo diocesano primeiro deu culto, depois continuou a análise para o reconhecimento das aparições.

Hoje, o culto de Medjugorje se estende a 80 países; sua rede é enorme.

O arcebispo revelou que a comissão para a análise das aparições de Medjugorje, que Bento XVI havia confiado ao cardeal Camillo Ruini, parece ser favorável.

“O que é comovente é que todos os videntes optaram pela vida familiar. No momento em que vivemos, a família é de enorme importância. Todos vivem com a família. As que eram adolescentes agora são avós. Já se passaram 37 anos”.

“Mas essa decisão terá que ser tomada pelo Papa. O documento está agora na Secretaria de Estado. Creio que a decisão final será tomada”, concluiu o bispo Hoser.

 

Milhões de leitores em todo o mundo – incluindo milhares do Oriente Médio – contam com a Aleteia para se informar, buscar inspiração e conteúdos cristãos. Por favor, considere a possibilidade de ajudar a Edição em Árabe com um pequeno donativo.