Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O que você faz quando vê uma mãe sofrendo por não conseguir conter a birra de um filho?

LITTLE BOY,TANTRUM
Shutterstock
Compartilhar

A atitude de uma mulher ao ver uma mãe nessa situação foi surpreendente

Ser pai ou mãe é um desafio. Ter filhos é uma experiência que envolve momentos maravilhosos, sentimentos gratificantes e a completa doação de si mesmo, mas também momentos de dúvida, insegurança e questionamento: estou fazendo a coisa certa?

Alguns desses momentos surgem quando parece que tudo saiu do controle, como naquelas birras homéricas que as crianças fazem em lugares públicos, tornando a situação completamente constrangedora. Sherry White, uma mãe norte-americana, passou por uma dessas em uma grande loja de departamentos da rede T.J.Maxx – e o que fez toda a diferença foi a presença de uma desconhecida. Sherry contou a história em sua página no Facebook The Messy Christian. Acompanhe:

Minha filha acabou de fazer a pior birra da sua vida. E é claro que foi em casa, então eu estava em vantagem. Estou brincando: na verdade, foi na T.J.Maxx.

Ela estava fora de si e todos os truques que os pais conhecem não funcionaram. Meu coração batia rapidamente e eu tentava não perder o controle.

Levei ela para o banheiro tentando fazê-la se recuperar e percebi que teria que ficar esperando até a birra passar, porque já não tinha mais nada a fazer.

Continuei a tentar manejar a situação, mas ela já não estava sob o meu controle. Isso quer dizer muita coisa, porque eu raramente me sinto assim, seja qual for a situação.

As pessoas passavam por nós e eu podia sentir o julgamento, como um sol queimando um buraco em mim. Eu sabia muito bem que eles estavam pensando que tipo de pirralha eu criei, porque eu mesma estava pensando a mesma coisa. Ela estava irritada, me provocando, e isso não era legal.

Mas foi então que uma mulher, um pouco mais velha do que eu, passou por nós e sorriu. Ela veio na nossa direção, segurou em meu braço e sussurrou: “Está tudo bem, você está indo bem”.

Eu virei o rosto rapidamente, antes que ela pudesse ver as lágrimas que se formaram em meus olhos e que rolavam pelo meu rosto.

Porque, mesmo sem saber, era o que eu precisava ouvir. Porque eu não me sentia como se eu estivesse indo bem. Eu me sentia como um completo fracasso de mãe, sem qualquer controle sobre uma criança. Então, ficamos ali, eu e minha filha, as duas chorando.

Ela em algum momento se acalmou e nós continuamos a fazer compras. Eu queria encontrar aquela mulher e agradecer, mas ela já tinha ido.

Sei que em diversas ocasiões não sabemos o que dizer a alguém que está passando por um momento como esse, mas a partir de agora, aceite o exemplo dessa mulher no T.J.Maxx. Um sorriso e uma palavra encorajadora fazem a diferença.

 

(Sempre Família)