Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Arquidiocese do Rio: presépio que era alvo de críticas foi vandalizado

Pe. Wanderson José Guedes
Compartilhar

Grupo de rapazes teria roubado a imagem do Menino Jesus e decapitado outras figuras

O presépio composto por 72 peças em tamanho natural que tinha sido instalado diante da sede da Arquidiocese do Rio de Janeiro foi alvo de vândalos que roubaram a imagem do Menino Jesus e decapitaram outras figuras.

Moradores de rua que se abrigavam no presépio informaram que um grupo de rapazes destruiu a obra. A Polícia Civil está investigando e usará imagens de câmeras de segurança da região para identificar os responsáveis.

Obra polêmica

Além das figuras tradicionais, o presépio destruído continha imagens que, segundo o autor, o pe. Wanderson José Guedes, procuravam representar a luta contra a corrupção.

Construída graças a doações e a recursos do próprio sacerdote, que é também escultor, a obra tinha despertado críticas diversas, a maioria por causa do conteúdo político, mas muitas também de católicos que não aprovaram o uso da cena da Natividade para destacar abordagens que não fossem a própria Encarnação do Filho de Deus.

A manifestação do autor

O pe. Wanderson postou a respeito do caso no Facebook:

Já sabíamos que algo poderia acontecer. Desde que montamos o presépio, recebi várias mensagens com críticas à montagem. Não foi um ato de intolerância religiosa. Foi uma ação política. O objetivo sempre foi fazer uma crítica à situação política. Isso desanima, mas não me faz desistir. No ano que vem faremos de novo.

A cultura da intransigência e dificuldade de saber lidar com as diferenças parece ter mostrado com dureza a sua força. Já era de se esperar que sofrêssemos alguma forma de protesto. Muitos se sentiram agredidos com o protesto do presépio, principalmente aqueles ligados a partidos e nomes, que figuram hoje imersos nos escândalos de corrupção.

Mas, contra todo ódio e desesperança, queremos dizer que não deixaremos nos abater. Não desistiremos Continuaremos juntos, promovendo a cultura do Amor, do respeito às diferenças (seja no campo político, social, sexual, religioso etc). No lugar do ódio plantaremos a paz. No lugar da destruição, trabalharemos pela construção. Recomeçar faz parte do processo de sobrevivência. Recomeçar é sinal de que a vida continua e que precisamos cuidar dela. Quero agradecer a todos que nos incentivaram e colaboraram para levar um pouco de cor e vida nesse Natal a nossa cidade Maravilhosa. Ano que vem, se Deus assim permitir, estaremos juntos montando um outro Presépio. Agradeço as críticas ofensivas e agressivas que tive por parte de alguns aqui que não gostam de nosso Presépio. Vocês foram sinal de graça, nos ajudando a perceber que, na vida, tudo tem seu preço e tudo tem vários outros pontos de vista. O trabalho será doloroso, laborioso. Mas o Amor e o desejo de fazer algo bom foi derramado em nossos corações por um Deus de Amor. Até a próxima se Deus quiser.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.