Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Por favor, ajude-nos a manter este importante serviço. APOIE AGORA
Aleteia

A oração cristã mais tradicional do mundo depois do Pai-Nosso e da Ave-Maria?

JESUS THE SHEPARD
Compartilhar

Muitos acreditam que seja esta - e ela é incrivelmente simples e poderosa

O Pai-Nosso e a Ave-Maria são os pilares básicos da vida de oração de todo cristão que pretenda ser fiel ao Evangelho. Mas há outra prece bíblica tão poderosa e tradicional quanto estas duas.

É a “Oração a Jesus“, ou “Invocação ao Nome de Jesus“, uma prece antiquíssima, cuja popularização contou com grande influência dos Padres do Deserto. Uma primeira forma desta oração foi mencionada por São Diádoco de Foticeia (às vezes citado como Diadochos de Photiki), um monge asceta da Grécia no início do século V. A prece foi depois inserida na coletânea de textos espirituais conhecida como Filocalia (ou Philokalia), que veio a se tornar um livro básico da tradição cristã oriental.

A Invocação ao Nome de Jesus se tornou muito popular nas igrejas ortodoxas, particularmente na Rússia, onde foi ainda mais difundida por outro clássico da literatura espiritual, Relatos de um Peregrino Russo, do século XIX.

Mais recentemente, esta oração tem despertado uma renovada devoção entre cristãos de várias denominações.

O Catecismo da Igreja Católica dedica alguns parágrafos a ela:

2667 – Esta invocação de fé tão simples foi desenvolvida na tradição da oração sob as mais variadas formas, tanto no Oriente como no Ocidente. A formulação mais habitual, transmitida pelos espirituais do Sinai, da Síria e de Athos, é a invocação: «Jesus, Cristo, Filho de Deus, Senhor, tende piedade de nós, pecadores!». Ela conjuga o hino cristológico de Fl 2, 6-11 com a invocação do publicano e dos mendigos da luz. Por ela, o coração sintoniza com a miséria dos homens e com a misericórdia do seu Salvador.

2668 – A invocação do santo Nome de Jesus é o caminho mais simples da oração contínua. Muitas vezes repetida por um coração humildemente atento, não se dispersa num «mar de palavras» (Mt 6, 7), mas «guarda a Palavra e produz fruto pela constância». E é possível «em todo o tempo», porque não constitui uma ocupação a par de outra, mas é a ocupação única, a de amar a Deus, que anima e transfigura toda a ação em Cristo Jesus.

É uma oração poderosa, focada em recitar o nome de Jesus. Em algumas tradições, costuma ser acompanhada pelo chotki, uma espécie de cordão de oração que lembra um rosário, para contar quantas vezes a prece é feita.

A Oração a Jesus é vinculada ainda a uma técnica de respiração que sincroniza palavras e corpo, já que todo o nosso ser é chamado a se unir a Deus de modo completo. Eis uma descrição deste exercício, feita por um bispo ortodoxo:

“A primeira parte, ‘Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus’, é dita enquanto se inspira; já a segunda, ‘tende piedade de mim, pecador’, enquanto se expira. Há outros métodos possíveis: a recitação também pode ser sincronizada com as batidas do coração.

É uma simples e riquíssima tradição, focada em Jesus e na Sua misericórdia.

Estas são algumas das várias formas diferentes de fazer a mesma prece:

Senhor Jesus Cristo, tende piedade de mim!

Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tende piedade de mim, pecador!

Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tende piedade de nós, pecadores!

Jesus Cristo, Filho de Deus, Senhor, tende piedade de nós, pecadores!

Senhor Jesus, misericórdia!

Milhões de leitores em todo o mundo – incluindo milhares do Oriente Médio – contam com a Aleteia para se informar, buscar inspiração e conteúdos cristãos. Por favor, considere a possibilidade de ajudar a Edição em Árabe com um pequeno donativo.