Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Eucaristia e canibalismo são muito diferentes: resposta a uma criança

GPointstudio - Shutterstock
Compartilhar

Essa questão vinda da boca dos pequenos deve causar desconcerto em muitos pais, desde os tempos da Igreja primitiva! Mas na verdade é algo simples de responder.

Certa vez, um de nossos filhos fez essa pergunta, quando explicamos que ao comungar, o cristão come o Corpo de Cristo e bebe o seu Sangue. Essa questão vinda da boca dos pequenos deve causar desconcerto em muitos pais, desde os tempos da Igreja primitiva! Mas na verdade é algo simples de responder.

A presença do próprio Cristo na Eucaristia é real, mas não natural: é uma realidade mística, física e sobrenatural ao mesmo tempo. Seu corpo, sangue, alma e divindade estão substancialmente presentes na Eucaristia, mas não sentimos o sabor da carne e do sangue. Por quê? Porque as espécies do pão e do vinho permanecem, ou seja, o seu sabor, textura, tamanho etc. O pão e o vinho, em sua essência, NÃO permanecem na Eucaristia, mas seus acidentes, sim.

O que são acidentes? São as coisas acidentais, não essenciais. Por exemplo, você pode engordar 20 quilos, mas isso não mudará sua essência, não fará de você uma outra pessoa. Só mudará sua aparência. Da mesma forma, de você pintar o cabelo de outra cor, ficará com visual muito diferente, mas essencialmente permanecerá a mesma pessoa. Porque peso e cor do cabelo são acidentes.

Da mesma forma, os acidentes do pão e do vinho permanecem após a transubstanciação, mas em essência já não são mais pão e vinho: são o Corpo e Sangue de Cristo, realmente.

Recebemos Jesus na Eucaristia NA FORMA de pão e vinho, mas essa forma é somente um acidente. Na essência, ali está Jesus Cristo.

Em suma:

  1. somente o fato de recebermos o Corpo e Sangue de Jesus na forma de pão e vinho já diferencia profundamente a Sagrada Comunhão do canibalismo;
  2. no canibalismo, se consome apenas uma parte do corpo de uma pessoa; já na Eucaristia recebemos Jesus POR INTEIRO, todo o seu corpo, e também sua alma e divindade;
  3. a carne consumida pelo canibal é de uma pessoa morta ou ferida; já o fiel que comunga recebe Cristo vivo, e Ele não sofre nenhum ferimento por isso.

Agora, a pergunta que não quer calar: o Pato Donald e seus sobrinhos são canibais?  😛

(via Catequista)