Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 25 Janeiro |
Conversão de São Paulo
home iconAtualidade
line break icon

"Coletivos" violentos do governo Maduro: vindo para o Brasil?

venezuela

Juan Barreto / AFP

Macky Arenas - Francisco Vêneto - publicado em 30/01/18

Supostos "ex"-membros têm desertado para a Colômbia. Muitos deles revelam: eram financiados pelo regime chavista para "gerar o caos"

A rede televisiva Caracol, da Colômbia, conseguiu entrevistar “motorizados” (motoqueiros) venezuelanos que têm cruzado a fronteira entre os dois países e se dirigido a Cúcuta, no lado colombiano, entre os refugiados humanitários. Trata-se de homens que pertenceram a grupos armados conhecidos como “colectivos chavistas” e que confessaram ter sido recrutados pelo governo de Nicolás Maduro para aterrorizar e assassinar pessoas.

FINANCIADOS PELO REGIME

Os ex-membros dos “colectivos” também revelaram à emissora que recebiam dinheiro do governo chavista para “fazer caos”. Embora esta informação já fosse vastamente conhecida pela população, ainda que obviamente negada pelo governo chavista, o que se desconhecia até então eram os valores pagos a cada vândalo contratado: havia um piso de 5.000 bolívares (equivalentes a 500 dólares na cotação de 2016) e alguns “bônus especiais”.

ARMAMENTO PESADO E DESINFORMAÇÃO ORQUESTRADA

Entre as atividades confiadas aos vândalos estava até mesmo o transporte de granadas e armamento pesado. De acordo com um dos entrevistados, os atos de violência encomendados pelo governo chavista e executados pelos “colectivos” eram sistematicamente atribuídos aos manifestantes de oposição, como parte da estratégia do regime venezuelano para subjugar a população mediante o medo e a desinformação.

ENVOLVIMENTO DE POLÍTICOS CHAVISTAS E NARCOTRAFICANTES

Alguns dos (supostamente) “ex”-motorizados venezuelanos afirmaram à emissora Caracol:

“O próprio governador [do Estado venezuelano de Aragua] nos mandou bloquear estradas e causar desordem. Muitos dos meus companheiros assassinaram várias pessoas. O dono da Goodyear em Aragua foi assassinado no meio desses tumultos”.

Tarek-El-Aissami, vice-presidente da Venezuela, foi governador daquele Estado entre 2012 e 2016. Ele está sendo investigado pelo governo dos Estados Unidos por supostas atividades de narcotráfico desde 2015. Rafael Isea, governador de Aragua no período anterior ao de El-Aissami, denunciou o atual vice-presidente por aceitar pagamentos do chefão narcotraficante Walid Makled para permitir a entrada de carregamentos de droga na Venezuela.

AFP PHOTO / LEO RAMIREZ

TROPA DE CHOQUE DO GOVERNO MADURO

Calcula-se que, só no Estado de Aragua, pelo menos 300 “motorizados” atuavam nos “colectivos chavistas“, treinados por Cuba e pelas Farc para prestar apoio armado ao regime de Nicolás Maduro.

Paramilitares dispostos a tudo, eles formam as forças de choque oficialistas que agridem de políticos opositores a jornalistas e civis, além de assassinarem manifestantes. A maioria dos seus crimes fica impune.

Os “motorizados” que cruzaram a fronteira colombiana e foram entrevistados pela TV Caracol relataram à emissora:

“Eles [os ‘colectivos chavistas’] fazem o trabalho sujo. A polícia evita disparar porque isso teria consequências legais. Os ‘colectivos’ armados têm liberdade para disparar e matar (…) O mal-estar que existe por causa da escassez, da fome e da corrupção, em qualquer país do mundo, faria os cidadãos saírem às ruas para protestar em massa. O regime precisa manter a população controlada. E os ‘colectivos’ ou grupos armados são o instrumento – e muito eficaz, com certeza”.

FOLHA DE PAGAMENTO

E como são feitos os pagamentos? Um dos entrevistados respondeu à Caracol:

“Eles estão na folha das prefeituras chavistas, na folha dos ministérios, dos governos, e o próprio governo os contrata como guarda-costas e funcionários de segurança”.

CRUZANDO FRONTEIRAS

Os “motorizados” que atravessaram para Cúcuta afirmam ter medo de voltar à Venezuela: eles se declaram arrependidos e dizem ser vítimas de ameaças do regime, que os considera desertores.

“A Venezuela não se suporta mais. Os nossos filhos estão morrendo de fome. O que eles [do governo chavista] fazem constantemente é nos ameaçar”.

Cabe perguntar: quantos “ex”-mercenários chavistas estão migrando (ou sendo “exportados”), em meio aos refugiados humanitários, para países vizinhos como a Colômbia e o Brasil?

augusto08-cc

Tags:
BrasilditaduraIdeologiaMundoViolência
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Aleteia Brasil
5 milagres que a ciência tentou, mas nunca conseguiu explicar
2
Larry Peterson
Ela se divorciou duas vezes, teve 8 filhos, virou freira e levou ...
3
FETUS
Francisco Vêneto
Abortos no mundo em 2021 já superam mortes por covid em toda a pa...
4
FAMILY PRAY
Philip Kosloski
Oração para manter as crianças longe do perigo
5
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fátima - e uma interpret...
6
Daniel Neves e Nossa Senhora dos Rins
Francisco Vêneto
Nossa Senhora dos Rins e a devoção de um menino que pede a graça ...
7
Aleteia Brasil
O testemunho de São Sebastião, o soldado mártir do Império Romano
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia