Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A imagem de São Miguel Arcanjo que presenciou exorcismos em São Paulo

São Miguel Arcanjo - Mooca
Blog Almas Castelos
Compartilhar

Um depoimento pessoal sobre o pároco protegido por São Miguel, amado por todos os fiéis e odiado profundamente pelo demônio

A partir de um testemunho postado por Jorge, autor do blog Almas Castelos

* * *

Certa vez estive numa paróquia e confesso que fiquei muito impressionado com uma imagem de São Miguel Arcanjo, que havia no altar-mor. Trazida da Itália, toda de madeira, aquela imagem belíssima e preciosa já presenciou muitos exorcismos.

O exorcista

O exorcista era o padre Miguel Pedroso. Seu olhar calmo e tranquilo, suas palavras de sonoridade profunda e mansa, sua coragem e fé inabaláveis, sua luta contra o demônio… tudo naquele padre era exorcístico.

Faziam-se filas enormes para receber a bênção desse padre ao final da missa. A bênção era recebida de joelhos, no “murinho” que separa o altar, como se fosse para comungar. O padre, muito calmamente, passava de um em um, abençoando, dando conselhos, sorrindo e exorcizando… Seu rosto transmitia tranquilidade, fé, força e mansidão, juntamente com uma felicidade inenarrável. Muitos dos que vinham de longe para conversar com ele voltavam admirados com a sua tranquilidade de quem está em paz com Deus. Não é preciso dizer que o demônio odiava esse padre. E, do altar-mor, São Miguel Arcanjo a tudo presenciava.

Quem era esse padre? Que paróquia é essa? De que imagem de São Miguel eu falo?

Travessia e promessa

No final do século XIX a Itália atravessava um período difícil e os italianos emigravam para a América em busca de trabalho e de novas oportunidades. Entre muitos, lá pelo ano de 1870, o jovem Miguel Aliano também veio para o Brasil. Sua viagem foi tumultuosa: enfrentou péssimo tempo, ventos contrários, grande demora e sofrimento. Alguns imigrantes adoeceram e outros morreram – seus corpos eram jogados ao mar. Enquanto as ondas fortes sacudiam a embarcação, muitos temiam jamais chegar ao destino.

Lembrando-se da fé católica herdada da mãe, Miguel, o jovem, pediu a São Miguel, o Arcanjo, o milagre de chegar ao Brasil. Prometeu que, assim que tivesse condições, voltaria à Itália para buscar a imagem do santo anjo protetor e mandaria erguer uma capela em sua honra.

Quando se reza, tudo se consegue. Miguel chegou finalmente ao Brasil e, com todo o esforço de quem chega a uma nova terra, trabalhou, montou seu comércio e guardou economias para cumprir a promessa.

Tão logo foi possível, ele a cumpriu. No ano de 1891, Miguel Aliano e Ana Maria Olga Aliano construíram no centro de São Paulo, à Rua Bráulio Gomes, uma capela dedicada a São Miguel Arcanjo. O rapaz viajou para a Itália e trouxe de sua terra, embalada e dentro de uma caixa de madeira, aquela imagem belíssima de São Miguel Arcanjo, toda ela também em madeira pintada.

São Miguel Arcanjo - Mooca
Blog Almas Castelos

A mudança

São Paulo crescia muito e era necessário alargar ruas, construir prédios, modernizar a cidade. Nesse contexto, a capela de São Miguel Arcanjo foi desapropriada: grande tristeza entre os familiares.

Mas a fé católica é forte na família Aliano. Em 1938, os herdeiros de Miguel construíram outra capela, transferindo assim a imagem de São Miguel Arcanjo para o bairro da Mooca. Ela se encontra ali até os nossos dias.

Apesar de, às vezes, vir algum sacerdote para rezar missa e dar assistência aos fiéis na Capela de São Miguel Arcanjo, ela não contava com um padre permanente. Então, para maior glória de Deus, a família Aliano resolveu doá-la para a Cúria Metropolitana, que a transformou finalmente em paróquia.

Em 21 de abril de 1960, a nova paróquia teve a sua primeira missa e o primeiro pároco, que ali permaneceu durante longos anos, amado por todos os fiéis da região: o padre Miguel Pedroso; o padre exorcista.

Paróquia São Miguel Arcanjo - Mooca
Blog Almas Castelos

Um pároco amado pelos fiéis e odiado pelo demônio

Quem o conheceu sabe do que estou falando. Até pessoas inimigas da Igreja Católica se admiravam com o timbre da voz do padre Miguel Pedroso. A sua calma, sua serenidade, sua força, sua fé inabalável faziam o demônio tremer.

O padre Miguel atendia a todas as pessoas que vinham procurá-lo. Visitava doentes, abençoava as pessoas e as casas da região, fazia incontáveis exorcismos…

Ao ir ficando mais idoso, foi transferido para Cotia, onde contribuiu para a formação do famoso carmelo lá existente. Fui até a cidade de Cotia várias vezes à procura do padre Miguel. Ele ainda continuava a rezar missa, a dar a bênção e a fazer exorcismos. Pessoas leigas e religiosas continuavam a vir de longe para procurá-lo.

Depois de falecer em idade avançada, o corpo do padre Miguel foi enterrado na cidade de São Roque. Muitas pessoas ainda vão rezar junto ao seu túmulo.

A mulher grávida e a mão do demônio

Há um fato que me marcou para toda a vida. Esse fato, que muito me impressionou, foi quando o padre Miguel Pedroso retirou a mão do demônio de uma mulher grávida. Jamais esqueci esse caso, que foi narrado no relato abaixo:

A mão do demônio sobre uma mulher grávida prestes a dar à luz

ACESSE AQUI O RELATO