Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Por favor, ajude-nos a manter este importante serviço. APOIE AGORA
Aleteia

Inédito na história: o Vaticano vai à Olimpíada de Inverno da Coreia do Sul!

Olympic Games flame
By Ververidis Vasilis | Shutterstock
Compartilhar

Mas ainda não é desta vez que você vai ver monsenhores, cardeais e freiras de amarelo e branco disputando medalhas pela televisão...

Convidado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), o Vaticano será representado nos Jogos Olímpicos de Inverno pela primeira vez na história. Além de participarem da cerimônia de abertura em Pyeongchang, na Coreia do Sul, neste próximo dia 9 de fevereiro, os representantes da Santa Sé já estão assistindo, também, à assembleia do COI que acontece entre 5 e 7 de fevereiro, na qualidade de observadores.

Portanto, calma: ainda não é desta vez que você vai ver monsenhores, cardeais, padres e freiras inscritos em equipes amarelo-e-branco de bobsled, hóquei no gelo ou esqui alpino, conquistando medalhas e subindo ao pódio sob os acordes do hino pontifício.

Uma presença pela paz

Se a bandeira vaticana será içada numa edição dos Jogos Olímpicos pela primeira vez na história, e a convite do próprio COI, é porque há uma razão que não tem nada de trivial.

A poucos quilômetros de Pyeongchang fica a fronteira mais militarizada do mundo: a que separa o único povo coreano em duas Coreias estruturadas em Estados completamente diferentes.

Mons. Melchor Sánchez de Toca, subsecretário do Conselho Pontifício para a Cultura, vê neste convite um “valor simbólico para a paz”. Segundo ele, a muito divulgada presença de atletas norte-coreanas na equipe feminina de hóquei na Coreia do Sul é “uma trégua olímpica que nos permite esperar um mundo sem guerras”.

Athletica Vaticana

Como forma de agradecimento por um convite de tanta significância na geopolítica desta época, mons. Sánchez de Toca oferecerá ao presidente do COI uma camiseta da Athletica Vaticana, a equipe de atletismo da Santa Sé, criada em setembro de 2017. A equipe reúne cerca de 30 leigos e prelados que decidiram compartilhar a sua paixão pelo atletismo.

Será que ainda não os veremos participar dessa modalidade nos Jogos de Tóquio em 2020?

Esporte e Santa Sé

Não seria nada de outro mundo assistir a eventos esportivos protagonizados por equipes de padres e seminaristas.

O próprio Vaticano tem o seu campeonato oficial de futebol: a Clericus Cup, ou Campeonato Mundial Pontifício, que, na sua 11ª edição, no ano passado, reuniu 404 padres de 66 nacionalidades em 18 times. Trata-se de uma iniciativa de integração e convivência fraterna entre os sacerdotes e seminaristas que estudam em Roma.

Além disso, abundam iniciativas pastorais que envolvem esporte e vida cristã. É o caso, por exemplo, do projeto “Desafie o Padre“, que tem feito sucesso no Brasil e no exterior ao unir evangelização, atividade física saudável e uma boa dose de simpatia.

Saiba mais:

“Desafie o Padre”… no futebol! Quem ganhar, reza pelo outro!

Milhões de leitores em todo o mundo – incluindo milhares do Oriente Médio – contam com a Aleteia para se informar, buscar inspiração e conteúdos cristãos. Por favor, considere a possibilidade de ajudar a Edição em Árabe com um pequeno donativo.