Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Como reagir com gentileza pode transformar a sua vida para melhor

BARISTA,COFFEE SHOP
Shutterstock
Compartilhar
Comentar

Às vezes, grandes lições de vida provêm dos lugares mais improváveis

Quem imaginaria que pessoas comuns poderiam ser excelentes professores? Às vezes, grandes lições de vida provêm dos lugares mais improváveis.

Quando eu estava na faculdade, há mais de 30 anos, eu andava de bicicleta até uma longa colina para trabalhar no Claremont Hotel em Berkeley, Califórnia. Meu trabalho, que era um meio para complementar minha renda estudantil, incluía servir comida e bebidas à beira da piscina durante o verão.

Os convidados deste grande hotel, no início do século XIX, eram tipicamente pessoas influentes e, em alguns casos, com mérito. No meu primeiro dia de treinamento, escutei atentamente as instruções para ser amável e generosamente acolhedora com os hóspedes do hotel e os membros do clube. Para mim, tais instruções criaram uma oportunidade para conduzir involuntariamente minha própria experiência pessoal sobre o poder da bondade.

Mesmo recebendo todos os dias pedidos amargos ou agradáveis ​​dos convidados, eu permanecia agradável, acolhedora e gentil. Não importa o que eles dissessem ou fizessem, continuava a tratá-los respeitosamente, sorrindo e tentando resolver suas preocupações.

Enquanto eu estava motivada a fazer isso pelas dicas, com o tempo também comecei a ficar curiosa. Dentro de algumas semanas, comecei a notar um padrão: se eu era genuinamente gentil na minha resposta aos convidados que exigiam ação imediata para sua necessidade urgente sobre a comida ou o serviço, eventualmente eles suavizam sua disposição. Era como um jiu-jitsu emocional.

Eventualmente, eu refletia sobre o meu comportamento e notei três características principais que tornam a generosidade uma arma poderosa:

1. Faça sua bondade ser genuína. Para que a gentileza seja autêntica é essencial ser empático. Falar coisas boas não é o mesmo que demonstrar uma genuína bondade para com os outros. E a maioria das pessoas percebe a diferença.

2. Seja persistente em seus atos de bondade. Não importa o que uma pessoa diga, acuse ou exija de você, coloque-se acima disso. Reivindique seu poder de ser gentil e não permita que as pessoas te roubem esse poder. Reconheça também que, se o comportamento de uma pessoa for abusivo, o melhor a se fazer é deixar de lado e sair.

3. Planeje práticas diárias que permitam que você exercite as características anteriores. Essas práticas diárias incluem corrida, meditação , yoga, sorrisos, intimidade ou qualquer coisa que o ajude a se sentir fundamentado e centrado em quem você é.

A magia da bondade: Sinaliza que você é amigo, não inimigo.

Admito que minha experiência com a bondade é uma história anedótica, sem evidências empíricas. No entanto, pesquisas sugerem que a gentileza pode ser uma força poderosa para desmobilizar o comportamento raivoso de outras pessoas.

Pesquisas no campo da psicologia evolutiva e fisiológica fornecem evidências fortes de que temos tendências de luta ou fuga em resposta a percepções de ameaça. Além disso, há evidências de que essas tendências relaxam num contexto que nos faça sentir seguros em nosso ambiente social.

Gentileza genuína, definida como um ato ou qualidade de ação que transmite o respeito pela dignidade de outra pessoa, sinaliza aos outros que não procuramos prejudicá-los. Além disso, a bondade indica que somos realmente amigos e ajudantes.

As pistas consistentes de bondade na personalidade de outrem são forças poderosas para mudar a percepção dessa pessoa de que você é um inimigo. Essas pistas ativam as normas de amizade, incluindo atuar de forma cooperativa e gentil.

(via Psiconlinews)