Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Terremoto sacode vários pontos do México e revive temores

EARTHQUAKE
Compartilhar
Comentar

Um potente sismo de 7,2 graus de magnitude que sacudiu vários pontos do centro e sul do México, na sexta-feira (16), reviveu temores e provocou angústia entre seus habitantes, cinco meses depois de outro terremoto ter deixado quase 400 mortos e graves danos, em sua maioria na capital.

Nesta ocasião, houve apenas danos estruturais em Oaxaca, duramente devastada por outro terremoto, em 7 de setembro, onde já foram habilitados abrigos para eventuais afetados, informou o governo regional.

Em uma missão de avaliação de danos na zona próxima ao epicentro do sismo, o ministro de Governança e o governador de Oaxaca sobreviveram a um acidente do helicóptero que os levava para essa região e que deixou 13 mortos, entre eles três crianças, entre as pessoas que esperavam em terra pela aeronave.

“Foram levantados os corpos de 12 pessoas: cinco mulheres, quatro homens, duas meninas e um menino. Outra pessoa morreu no Hospital de Jamiltepec” e 15 ficaram feridas, informou a promotoria de Oaxaca em um comunicado.

O Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS) e o Serviço Sismológico Nacional registraram um movimento de magnitude 7,2.

O USGS situou o epicentro a 37 km de Pinotepa de Don Luis, em Oaxaca, a uma profundidade de 24,6 km, enquanto o instituto mexicano o situou a 11 km da mesma comunidade e a uma profundidade de 12 km.

Diante da magnitude do movimento, foi instalado o Comitê Nacional de Emergências para fazer uma revisão minuciosa de eventuais danos, tuitou o presidente do México, Enrique Peña Nieto.

“Até agora, o Comitê Nacional de Emergências não tem registro de pessoas falecidas pelo sismo”, tuitou o presidente, que também lamentou o acidente do helicóptero.

Na Cidade do México, o sismo provocou entre seus habitantes crises de ansiedade, diante da lembrança do terremoto de setembro passado.

Centenas de pessoas abandonaram edifícios, e os hospitais evacuaram os doentes para esplanadas, ou avenidas da zona central da capital.

“Já estamos bastante alterados. Choramos com qualquer som de alarme. Estamos muito estressados, vivemos um flashback”, disse Kevin Valladolid, de 38 anos, que mora no bairro Roma, um dos mais afetados pelo sismo de 19 de setembro.

O portal de notícias Animal Político difundiu um vídeo de um habitante de Condesa que assegurou que a fachada de um edifício caiu. Nas imagens, há muita poeira e pessoas correndo.

Sánchez, o porta-voz da presidência, confirmou essa queda.

A Universidade Nacional Autônoma do México, a mais importante do país, suspendeu aulas e atividades na Cidade do México, zonas conurbanas e no vizinho estado de Morelos para fazer inspeções de segurança.

Os serviços de luz foram interrompidos em algumas zonas do leste da capital mexicana.

Após o alerta sísmico, todos os protocolos foram ativados e se estabeleceu comunicação com os estados em que o sismo foi registrado, indicou o ministro de Governança em sua conta de Twitter.

Quase uma hora depois do sismo, foram registradas várias réplicas, a mais forte delas de 5,8.

O sismo foi sentido com forte intensidade em Acapulco, Guerrero, onde os turistas saíram momentaneamente dos hotéis. Também sacudiu o estado de Puebla.

(AFP)

Aleteia Top 10
  1. Lidos
    |
    Compartilhados
  2. Ary Waldir Ramos Díaz / Redação da Aleteia
    Arrepiante! O Papa abraça o menino em prantos: …
  3. Ary Waldir Ramos Díaz / Redação da Aleteia
    Papa: por que devemos fazer o sinal da cruz nos …
  4. Gelsomino Del Guercio / Redação da Aleteia
    Franciscano na Síria: “Assad não usa armas …
  5. Todo de Maria / Redação da Aleteia
    Oração da manhã ao Anjo da Guarda
  6. Ary Waldir Ramos Díaz / Redação da Aleteia
    Arrepiante! O Papa abraça o menino em prantos: …
  7. Lucandrea Massaro / Redação da Aleteia
    O misterioso Homem do Sudário, reconstruído em …
  8. Alvaro Real / Redação da Aleteia
    Papa Francisco: “estou profundamente …
  9. Gelsomino Del Guercio / Redação da Aleteia
    Franciscano na Síria: “Assad não usa armas …