Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Familiares de tripulação de submarino argentino desaparecido lançam campanha

ARA SAN JUAN
AFP PHOTO / EITAN ABRAMOVICH
Compartilhar

Familiares dos 44 membros da tripulação do submarino argentino desaparecido no último 15 de novembro no Atlântico Sul lançaram uma campanha de arrecadação de fundos para contratar uma empresa para procurar o submergível.

A campanha foi lançada nas redes sociais depois que um processo de licitação pública para a busca foi suspenso.

O governo argentino ofereceu uma recompensa de cinco milhões de dólares “às pessoas que fornecerem informações e dados úteis que permitam encontrar o paradeiro e a localização precisa do submarino” ARA San Juan, de acordo com uma resolução de 14 de fevereiro.

“Buscamos a verdade e você pode se juntar a nós, estamos levantando fundos para contratar navios com tecnologia de ponta”, explica o pedido dos parentes.

Mais de uma dúzia de países contribuíram para a busca do submarino, que desapareceu depois de alertar um problema técnico quando navegava de Ushuaia, na ponta sul da Argentina, para o porto de Mar del Plata, 400 km ao sul de Buenos Aires.

As famílias, que foram recebidas pelo presidente Maurício Macri em 7 de fevereiro, pedem a ampliação da área de busca e dos recursos do Estado para localizar o submarino.

A arrecadação “era uma ideia que estava sendo conversada entre os parentes e quando o governo anunciou a recompensa e parou o processo de licitação para as empresas estrangeiras decidimos lançar a campanha”, explicou Claudio Sandoval, tio de um dos tripulantes do submarino.

(AFP)