Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Como lidar com pessoas difíceis no trabalho?

WORK
Wavebreakmedia - Shutterstock
Compartilhar
Comentar

Aprenda a conviver com aquelas pessoas que fazem da sua vida profissional um verdadeiro inferno

Pessoas tóxicas, gente amarga, misantropos… Particularmente, não sou a favor dessas e tantas outras etiquetas. Prefiro chamá-las de pessoas com atitudes difíceis ou feridas, já que é isso que as leva a ter um tipo de comportamento não tão agradável.

Sejamos realistas, ninguém – por pior que seja a pessoa – acorda pensando: “hoje serei feliz sendo um amargo, deixando a vida difícil para os outros”.

Por isso, é importante entender o que se passa na vida de quem tem um comportamento azedo. Por traz de cada rosto que não sorri pode haver uma história de dor, carência ou uma marca de abandono.

Então, longe de julgarmos, precisamos olhar com compaixão.

Este tipo de gente está por toda a parte; não é só no ambiente profissional. Algumas vezes, você e eu também agimos como pessoas difíceis.

A arte da simpatia

Como lutar contra essas pessoas que querem deixar a nossa vida mais difícil no trabalho? Bem dizia São Paulo que é preciso afundar o mal com abundância de bem.

Portanto, nossa primeira arma é o sorriso. Pode parecer besteira, mas um sorriso desarma qualquer um.

Talvez você seja o único a dar esse presente a uma pessoa difícil. Sua expressão poderá ser um bálsamo para um coração que passa por um momento traumático. Com um sorriso, queremos dizer o seguinte: “o que eu posso fazer para aliviar a sua carga? Conte comigo”.

Por outro lado, lembre-se que os maus tratos são como qualquer presente: você escolhe se o aceita ou não. É verdade, é horrível chegar ao trabalho e logo se sentir em um ambiente hostil.

Portanto, além de contar com a sua arma mais poderosa – seu sorriso – você pode adotar estes conselhos na hora de se relacionar com pessoas difíceis e mal humoradas:

  • Tente compreender a pessoa. Se você vir que não há uma resposta positiva, dedique a ela o mínimo de tempo possível e dirija-lhe a palavra apenas se necessário;
  • Quando vocês conversarem, centralize o assunto na pessoa, não em você. Assim, você evitará que ela distorça suas palavras ou manipule a informação;
  • Trate-a da mesma forma como você gostaria de ser tratado;
  • Tome cuidado com o que você vai dizer, pois essas pessoas costumam se sentir atacadas ou ofendidas do nada. Sim, eu sei que é desgastante tomar todos esses cuidados. Mas, lembre-se: você está falando com alguém que está ferido;
  • Procure não levar as coisas para o lado pessoal, nem mesmo os ataques diretos a você;
  • Fale de forma clara, concisa e sem rodeios. Não queira que a pessoa entenda o seu ponto de vista, pois ela não entenderá;
  • Não compartilhe assuntos pessoais. Por causa de suas próprias feridas emocionais, essas pessoas geralmente são pouco prudentes quanto à vida pessoal dos outros;
  • Deixe as regras do jogo bem claras. Diga que você a respeita e exija respeito. Antes de tudo, siga as políticas e procedimentos da empresa.

Por último, a pergunta de um milhão: por que uma atitude amarga de outrem está te tirando a paz? O que você poderia mudar em você mesmo para que este tipo de atitude não te impacte tanto?