Aleteia
Sexta-feira 23 Outubro |
São Paulo Tong Viet Buong
Atualidade

Combates em Ghuta comprometem trégua decretada por Moscou na Síria

AFP PHOTO / WAKIL KOHSAR

Agências de Notícias - publicado em 28/02/18

Os ataques aéreos e disparos de foguete foram reportados nesta terça-feira (27) no enclave rebelde de Ghuta Oriental, comprometendo a “trégua humanitária” diária decretada na Síria pela Rússia, grande aliado do regime de Bashar al-Assad.

Após uma noite relativamente calma e da entrada em vigor desta trégua de cinco horas às 9h00 (04h00 de Brasília), os ataques aumentaram neste território do qual o governo controla dois terços, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Sete civis, entre eles duas crianças e uma mulher, morreram nesta terça, dois durante o horário da suposta trégua, segundo o OSDH. “Obuses, bombas e barris de explosivos foram lançados sobre o enclave rebelde”, acrescentou.

A agência oficial de notícias síria Sana, por sua vez, relatou disparos de foguetes contra os corredores humanitários a nível do campo de Al-Rafidain, com o objetivo de impedir os civis de deixar a região.

O Exército russo acusou nesta terça-feira os rebeldes sírios de lançarem uma “ofensiva” contra as forças do governo de Assad no enclave durante a “trégua humanitária” decretada por Moscou.

“Durante a trégua humanitária, os combatentes dos grupos armados continuaram atacando as posições das forças do governo” em Ghuta Oriental para, a seguir, “passarem à ofensiva” nesse reduto rebelde próximo a Damasco, indicou o responsável do centro russo de reconciliação dos beligerantes na Síria, Yuri Evtuchenko, em comunicado.

“Essas ações se viram acompanhadas de intenso fogo de artilharia e de armas curtas”, assinalou.

Moscou também acusou combatentes rebeldes de terem disparado morteiros no corredor humanitário entre Harasta e Duma. “Os projéteis explodiram a 500 metros de um posto de controle”, indicou o comunicado.

– População sem ajuda –

Esta nova tentativa de cessar as hostilidades ocorre quatro dias após a votação pelo Conselho de Segurança da ONU, depois de discutir com Moscou em particular, de uma resolução pedindo um cessar-fogo “sem demora” de 30 dias. A mesma não teve efeito.

Com a retomada dos combates, nesta terça-feira nenhum ferido foi evacuado, enquanto nenhuma ajuda humanitária pode ser encaminhada.

“Constatamos que os combates continuam (…), o que torna impossível enviar comboios”, indicou Jens Laerke, porta-voz do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha).

Sitiada desde 2013, Ghuta Oriental e seus 400.000 habitantes sofrem, além dos bombardeios, de uma escassez de alimentos e remédios.

De acordo com o Ocha, mais de 700 pessoas precisam de evacuação médica de emergência, enquanto 12% das crianças com menos de cinco anos sofrem de desnutrição grave e uma criança em cada três de um retardo de crescimento.

O porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tarik Jasarevic, afirmou que sua agência possui uma lista de 1.000 pessoas à espera de evacuação médica, incluindo 600 em um estado “moderado a severo”.

A recente ofensiva do regime e de seu aliado russo desativaram vários hospitais no enclave e geraram um aumento nos preços dos alimentos, de acordo com o Ocha.

Enquanto isso, as facções rebeldes em Ghuta prometeram nesta terça-feira em uma carta à ONU “expulsar” os combatentes de um grupo jihadista em troca da implementação da trégua prevista pela ONU.

O Conselho de Segurança da ONU se reunirá na tarde desta quarta-feira para analisar a situação humanitária na Síria e ouvir, pela terceira vez desde fevereiro, o subsecretário das Nações Unidos para Assuntos Humanitários, Mark Lowcock.

Nas ruas de Duma, os moradores do enclave rebelde, último bolsão de resistência ao poder de Bashar al-Assad perto da capital, expressaram profundo ceticismo sobre o “cessar-fogo russo”, antecipando uma repetição do cenário observado no final de 2016 em Aleppo, a grande cidade do norte assumida pelo regime.

“Esta trégua é uma piada, a Rússia nos mata todos os dias e nos bombardeia todos os dias”, disse Samer al-Bouydani à AFP.

O comandante das forças americanas no Oriente Médio, o general Joseph Votel, disse que a Rússia “exerce o papel de incendiário e bombeiro”, o que é “extremamente desestabilizador”. “Deve admitir que não é capaz de acabar com o conflito sírio, ou não deseja”, acrescentou.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Extremistas queimam igrejas no Chile
Francisco Vêneto
Por que queimam igrejas: Dom Henrique e Pe. J...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia