Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Cadê o São Caetano que estava aqui?

ST CAYETANO
Compartilhar
Comentar

Essa é a pergunta que os moradores de um povoado colombiano fazem há mais de 20 anos, quando a imagem desapareceu de uma igreja

Ele é considerado o padroeiro da cidade, mas, há mais de 20 anos, desapareceu da igreja que leva seu nome em Bolívar, na Colômbia. Estamos falando de São Caetano, santo popularmente vinculado às fervorosas orações de quem procura trabalho.

Nenhum morador do local consegue se esquecer do dia em que ficaram sabendo que a imagem não estava mais entre eles. Uma das primeiras testemunhas da tragédia foi a professora Lilia Romero.

Segundo o jornal El Universal, ela, que é muito devota do santo, foi avisada de que algo de estranho tinha acontecido na Igreja. Quando ela chegou lá, constatou que as portas tinham sido forçadas e que a única coisa que estava faltando era a imagem do São Caetano.

Entre as diversas versões que surgiram imediatamente, duas tiveram mais eco: “ou foram fiéis obcecados que se apropriaram da imagem ou, por outro lado, incrédulos, que não suportavam a devoção do povo ao santo”, reproduz o El Universal.

O certo é que o furto aconteceu no dia 20 de dezembro de 1997 e, além de gerar uma profunda consternação, ocorreu em meio a um profundo silêncio, sem sinais estranhos. Até hoje, o fato continua sendo um verdadeiro mistério até para a polícia.

Os milagres de São Caetano

Da imagem de São Caetano só restou uma fotografia colada em uma das paredes da igreja. Atualmente, os fiéis veneram uma imagem doada por alguns navegantes. Eles acreditam que foram salvos de um naufrágio pelo santo e decidiram doar a imagem.

Há também outras histórias de fé e devoção, cheias de referências a milagres atribuídos a São Caetano. São casos de pessoas que conseguiram trabalho graças à sua intercessão, assim como pessoas que atribuem a ele a graça da chuva em épocas de extrema seca.

Tudo isso só confirma que, enquanto aquela histórica imagem continua desaparecida, a presença de São Caetano segue mais viva do que nunca no local.

 

Com informações de El Universal de Cartagena