Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Atualidade

O Big Brother e a preocupação com a vida alheia

Por Brian A Jackson/Shutterstock

Padre Paulo Ricardo - publicado em 15/03/18

O sucesso do programa se deve à exploração de um dos maiores vícios dos brasileiros - você sabe qual é?

O que é o Big Brother Brasil, por que fez tanto sucesso em nosso país e por que é tão explorado pelos portais de notícias da Internet?

Trata-se de um reality show – literalmente, “show de realidade”. A ideia original desses espetáculos — cujo formato pode variar muito — é apresentar às pessoas a rotina e o dia a dia de outras pessoas reais. Ao contrário de filmes, novelas e seriados, nos quais os atores interpretam personagens, as pessoas chamadas a participar desses programas têm de interpretar tão somente a si mesmos — em um contexto todo fantasioso, no caso do Big Brotherrepleto de comidas, bebidas, lazeres… e absolutamente nenhum trabalho.

Movidas pela ânsia dos holofotes e pelo desejo da fama, são muitas as pessoas a imolar a própria privacidade no altar do reality show. Os eventuais prêmios com que os ganhadores desse programa são bonificados nem se comparam à possibilidade de todos serem vistos aos olhos da sociedade e poderem, quem sabe, ingressar em uma carreira pública — seja na própria televisão, seja no Congresso Nacional, por exemplo.

O mais intrigante, porém, é como tantos brasileiros podem perder o seu tempo com algo desse tipo. Afinal, Big Brother só existe até hoje na rede nacional porque tem audiência suficiente para se manter. O argumento de que os entusiastas do programa se restringem a quem assiste à TV não cola. Os sítios da Internet, todos, trazem notícias sobre o que acontece na tal “casa mais vigiada do Brasil” e, impressionantemente, são essas as matérias mais lidas pelos internautas.

O que explica esse fenômeno? Por que isso acontece?

É que o Big Brother explora um vício muito característico da própria cultura brasileira, a curiosidade (não à toa os telespectadores são convidados pelo apresentador do programa a “dar uma espiadinha”). Este vício consiste, segundo o parecer de São Beda, “na assistência aos espetáculos e na investigação e crítica dos vícios alheios” [1]. Santo Tomás de Aquino, doutor da Igreja e profundo conhecedor do comportamento humano, ensina que, no que diz respeito aos sentidos, há dois modos de ser curioso: ou procurando por algo inútil ou mesmo por algo nocivo [2].

Olhando para o conteúdo do reality show em questão, é preciso dizer que dar-lhe audiência não consiste apenas em querer saber algo sem utilidade alguma — o que já é bastante óbvio. É que o próprio Big Brother Brasil é um espetáculo perigoso. Além de incentivar os mexericos e difamações à vida alheia — as pessoas se dividem em “panelinhas” de fofocas e as personagens consideradas impróprias são eliminadas em um “paredão” —, o programa global está repleto de cenas pornográficas, uma pior do que a outra. Desvinculando totalmente o sexo da realidade familiar, o Big Brother mina a base dos relacionamentos maduros e saudáveis e estimula os jovens a uma busca frenética e irresponsável por prazer sexual a qualquer custo [3]. Não é exagero dizer que os pais que gostam de dar uma “espiadinha” trazem a promiscuidade para dentro de sua própria casa.

Antes que alguém chame as considerações aqui expostas de “moralismos”, importa apontar o quanto programas deste teor já destruíram a família brasileira nas últimas décadas. Só as novelas da Rede Globo — que são uma versão bem mais soft do que é o BBB — contribuíram significativamente para o aumento do número de divórcios e a queda no número de filhos no país. É que, de 115 novelas globais transmitidas entre 1965 e 1999 no horário nobre, 62% das principais personagens femininas não tinham filhos e 26% delas eram infiéis a seus parceiros. Um quadro que foi se tornando, pouco a pouco, um retrato da sociedade brasileira.

Por isso, deixar de assistir à programação permissiva e liberal da Rede Globo — com suas novelas, reality shows e afins — não é nenhum “moralismo” de fundamentalistas cristãos. É apenas a medida mais sensata que os homens de bem desse país precisam tomar para salvar a própria família e preservar o amor dentro do Matrimônio. Caso contrário, também eles cairão, assim como caiu a grande Babilônia do Apocalipse.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia