Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconEstilo de vida
line break icon

Você já foi bloqueado(a) ou bloqueou alguém nas redes sociais?

SOCIAL MEDIA

Rawpixel.com - Shutterstock

Luz Ivonne Ream - publicado em 19/03/18

Aprenda a não sofrer com isso

Lembro-me que faz mais de uma década que esta onda das redes sociais, especialmente o Facebook, começava a entrar em furor. No início, todos éramos amigos de todos, até daqueles que, em algum momento, infernizaram a nossa vida.

Sinto que, em grande medida, essa moda foi responsável pelo fato de as palavras “amigo” e “amizade” terem perdido valor. Chamamos qualquer pessoa de amigo. E o pior de tudo é que até lhe damos conta de nossa vida e do nosso estado de ânimo por meio de uma tela – neste caso, das redes sociais.

Por outro lado, se estamos passando por uma fase de desequilíbrio emocional e percebemos que alguém nos bloqueou da sua rede de amigos, nós nos sentimos muito mal. Se não formos suficientemente maduros para entender este comportamento, isso pode nos afetar. E muito.

Nós começamos a nos perguntar: “o que eu fiz?”. “Será que eu magoei fulano ou sicrano?”. Nós podemos até levar a situação para o mundo real e virar a cara para pessoa que nos bloqueou nas redes sociais. Quem nunca?

Esse tipo de reação parece infantil, mas acontece mais do que imaginamos – e com pessoas de todas as idades.

Por outro lado, há reações diferentes quando as pessoas não levam esses bloqueios para o lado pessoal e compreendem que cada um é produto de suas feridas emocionais e de sua história.

A psicoterapeuta Irene Rocha defende seu ponto de vista a respeito: “Entenda que quando alguém tem uma ferida e é autoeliminada mostra que não pode controlar seu nível de dor, o que é equivalente ao medo, frustração, coragem, inveja, projeção e ciúme. Essas pessoas dão um toque de realidade ao virtual. O bom disso é que você pode ficar tranquilo. As pessoas que se autoanulam ou autobloqueiam são pessoas que não estão dispostas a lidar com a própria dor e pensam que, eliminando, vão resolver tudo. O estranho é que, depois, não suportam ficar na dúvida e buscam outros meios ou perfis sociais para saber de quem foi bloqueado. Essa é a arte de se torturar. Eliminar ou bloquear nas redes é o mesmo que jogar minha desorganização para baixo da cama. Eu não a corrijo, mas sei que ela está lá e tenho que enfrentá-la.”

Definitivamente, se algo nesta vida não te agrada, isso tira o único poder que você tem sobre você mesmo(a): a sua atenção. É preciso entender que tanto você quanto eu temos todo o direito de aceitar em nossas redes todos aqueles que nos somem ou contribuem com o bem –  e de eliminar o restante.

Eu uso as minhas redes sociais para compartilhar meu trabalho e poder ajudar os outros. Por isso, aceito “quase” todo mundo. No entanto, apesar de não as utilizar como um meio de vida social, eu me vi na necessidade de bloquear muitas pessoas que me tiravam a paz.

São pessoas com atitudes tóxicas, grosseiras, soberbas ou que compartilham coisas que vão contra os meus valores. Como elas são livres para compartilhar o que quiserem – já que possuem suas próprias contas – eu saio de cena para não sujar os meus olhos e meu coração com coisas que podem causar dano ao meu interior.

Não é que eu me julgue melhor do que elas; simplesmente é uma medida de prudência, para cuidar de minha alma. Você pode fazer o mesmo, sem se sentir culpado(a).




Leia também:
A amizade segundo Santo Agostinho

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
AmizadeRedes sociais
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia