Aleteia
Terça-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Atualidade

Começa evacuação de Ghuta Oriental, onde bombardeios prosseguem

GHOUTA,SYRIA

Hamza Al-Ajweh | AFP

Agências de Notícias - publicado em 22/03/18

O primeiro comboio de combatentes rebeldes deixou Ghuta Oriental nesta quinta-feira (22), pela primeira vez desde o lançamento da ofensiva do regime sírio, determinado a recuperar este reduto insurgente nas proximidades de Damasco.

“Partiram os primeiros ônibus transportando os combatentes de Harasta rumo a Idlib”, região no noroeste do país que segue sob controle insurgente, anunciou a televisão estatal síria.

Cerca de 1.500 pessoas, incluindo 400 combatentes, viajavam em 26 ônibus, segundo uma fonte militar no terreno.

O governo sírio e seu aliado russo concluíram um acordo com o grupo rebelde islamita Ahrar al-Sham para evacuar Harasta, o menor e menos povoado dos três bolsões rebeldes que ainda resistem em Ghuta Oriental.

Mas os ataques aéreos do regime e fogo de artilharia continuavam nesta quinta em outras localidades e mataram 19 civis, incluindo 16 em Zamalka, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Um correspondente da AFP no local viu grandes nuvens de fumaça dos edifícios atingidos.

Já os rebeldes dispararam bombas e foguetes em Damasco, e quatro pessoas morreram na capital, segundo a televisão estatal.

Em Harasta, as operações de evacuação começaram no final da manhã, com várias horas de atraso, e podem durar vários dias, segundo o porta-voz do Ahrar al-Sham, Munzer Fares.

No total, cerca de 1.600 combatentes e 6.000 membros de suas famílias devem deixar Harasta, de acordo com a agência oficial de notícias síria Sana.

Em mais de um mês de bombardeios aéreos e combates terrestres, o regime do presidente Bashar Al-Assad recuperou mais de 80% do território deste enclave rebelde.

Desde o início da ofensiva, em 18 de fevereiro, mais de 1.500 civis morreram, segundo o OSDH.

“Harasta foi completamente destruída, a situação dos habitantes é dramática”, declarou à AFP o chefe do conselho rebelde local, Hossam al-Beirut.

“Esta semana, metade das famílias não tinha nada para comer. As doenças estão causando estragos nos porões”, onde as pessoas vivem escondidas para escapar dos bombardeios do regime, lamentou.

– Milhares de deslocados –

A evolução em Ghuta lembra o que aconteceu em outras fortalezas rebeldes recuperadas nos últimos anos pelo governo, inclusive na cidade de Aleppo (norte) no final de 2016.

Ao final de intensos bombardeios e de cercos asfixiantes, os insurgentes dessas localidades e os civis que os apoiavam foram colocados em ônibus, na direção de Idleb. A Anistia Internacional denunciou o deslocamento forçado de populações.

Multiplicando as vitórias contra os rebeldes, mas também contra os extremistas, Assad, apoiado por seus aliados Rússia e Irã, já reconquistou mais da metade da Síria.

Em Idlib, os ataques aéreos, provavelmente russos, mataram 22 civis, segundo o OSDH.

Em Ghuta, a ofensiva do regime fez mais de 80.000 deslocados no total.

Somente nesta quinta-feira, mais de 4.000 civis deixaram a grande cidade rebelde de Duma, segundo o OSDH.

Esses civis não tiveram outra escolha a não ser ir para os locais controlados pelo governo, apesar do medo de retaliação.

Deflagrada em 2011 pela repressão sangrenta de manifestações pró-democracia, a guerra na Síria deixou mais de 350.000 mortos e forçou milhões de sírios ao exílio.

Ao longo dos anos, o conflito evoluiu para uma guerra complexa, envolvendo múltiplos personagens que lutam em várias frentes, às vezes com a intervenção direta de potências estrangeiras.

No noroeste, o Exército turco lançou em 20 de janeiro uma ofensiva para expulsar a milícia curda Unidades de Proteção do Povo (YPG) de suas fronteiras, assumindo o controle total do enclave de Afrin. Mais de 250.000 civis fugiram do avanço das forças turcas, de acordo com o OSDH.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Ellen Mady
Para Jesus não existe novena melhor do que es...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
ícone São Lucas Nossa Senhora Jesus médico
Reportagem local
Oração a São Lucas, evangelista e médico, pel...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
JENNIFER CHRISTIE
Jennifer Christie
Fui estuprada numa viagem a trabalho - e meu ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia