Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma
Em foco

Crianças e dispositivos móveis: nunca sem a supervisão dos adultos

TECHNOLOGY

Monkey Business Images - Shutterstock

Miriam Diez Bosch - publicado em 23/03/18

Os vícios digitais aumentam e a prevenção deve seguir a mesma onda

Atualmente, precisamos de especialistas para decifrar o mundo digital em que vivemos e oferecer caminhos de sobrevivência à esta realidade. A Fundação Casa de Misericórdia de Barcelona organizou uma jornada chamada “Crianças e jovens na era digital: riscos e oportunidades educativas”. A Aleteia foi parceira da iniciativa, cujo objetivo foi dar respostas multidisciplinares a uma questão que não preocupa somente as famílias, mas também os educadores e as autoridades policiais.

Conectar para quê?

O presidente dos médicos belgas, o doutor Bernard Ars, considera que é necessária uma “consciência moral” mais aguda para fazer frente ao “embrutecimento digital”. O médico diz que precisamos refletir mais sobre o sentido de estarmos conectados, sem nos esquecermos da conectividade com os outros e com Deus.

A tecnologia permite que, estando em Barcelona, você possa falar com seu filho que está em Pittsburg, na América ou na China. Talvez, desde modo, você passe a vê-lo mais frequentemente do que os outros que moram com você. Este é o paradoxo discutido pelo pediatra Josep Argemí, que analisou a penetração das redes sociais e o seu aumento entre os jovens.

O doutor Josep Maria Simón, apoiador da jornada e colaborador da Casa de Misericórdia, alertou para os riscos da perda de intimidade, do abuso e do acesso a conteúdos prejudiciais para crianças e insistiu na necessidade de oferecer ideias e sugestões educativas para as famílias.

O doutor Ermanno Pavesi, secretário-geral da Federação Internacional de Médicos Católicos, se referiu aos relacionamentos virtuais com a seguinte comparação: “os casamentos da época victoriana eram felizes não pelo fato de homens e mulheres se entenderem na intimidade diária, mas porque homens e mulheres tinham regras e comportamentos aprovados pela comunidade”.

A doutora María Salas, professora de Direito da Universidade de Málaga defende o direito da gratuidade no acesso à internet, à informação e aos produtos digitais, para evitar, assim, a marginalização e o analfabetismo digital.

Para ela, as crianças e os jovens precisam passar de “sujeitos passivos para sujeitos ativos” na era digital. Ela defende a construção de uma nova cultura de legalidade baseada no voluntarismo.

Um painel sobre segurança na internet contou com a contribuição de autoridades do setor. A necessidade de não deixar os menores à sorte, sem o amparo de adultos enquanto navegam foi repetida várias vezes e se tornou o fio condutor da jornada.

Dependência das redes: personalidades frágeis

O doutor Vicenzo de Filippis considera que a dependência das redes sociais e o uso compulsivo da internet são provenientes de personalidades frágeis, com problemas vinculados à confiança e autoestima e com a incapacidade de encontrar satisfação e prazer em relações reais com os outros.

Para o médico, a dependência da internet é um transtorno de personalidade, que se manifesta na busca incessante de algo (droga, álcool ou redes sociais) ou de alguém (familiares ou companheiros) a quem se conectar constantemente.

O professor Giovanni Maria Vian, diretor do jornal Osservatore Romano fechou a jornada, pedindo a construção de pilares críticos e lembrando que seria “insensato” se opor ao mundo digital, que é um convide ao “exercício da liberdade”.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
InternetRedes sociais
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
CHILE
Reportagem local
Duas igrejas são incendiadas durante protesto...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia