Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Seminarista morre um dia após acolitar o Papa Francisco

Anthony Freeman
Anthony Freeman / Instagram
Compartilhar

O irmão Anthony acabava de fazer 8 dias de retiro espiritual em preparação para a ordenação diaconal, em Roma

Nesta segunda-feira, 2 de abril, foi encontrado morto em seu quarto o irmão Anthony Freeman, seminarista da congregação dos Legionários de Cristo. Natural de Louisiana, nos Estados Unidos, o jovem religioso de apenas 30 anos de idade estava prestes a ser ordenado diácono.

Anthony morreu em Roma, no seminário em que vive, estuda e trabalha a maior parte dos seminaristas dessa congregação durante os seus anos de estudos de filosofia e teologia em preparação para o sacerdócio. Segundo nota dos legionários, as causas da morte estão sendo averiguadas pelas autoridades. A mais provável é que Anthony tenha sofrido um infarto.

A congregação também pediu orações pelo eterno descanso da alma de Anthony e pelo conforto espiritual dos seus pais e familiares.

Neste Domingo de Páscoa, o irmão Anthony tinha compartilhado em uma rede social a sua experiência de ser acólito do Papa Francisco:

“Tive a bênção de estar com o Papa Francisco e acolitá-lo na missa da Páscoa!”.

Além da graça de auxiliar o Santo Padre na missa mais importante do calendário cristão, Anthony tinha acabado de realizar um retiro espiritual de oito dias em silêncio absoluto, segundo a metodologia dos exercícios espirituais de Santo Inácio de Loyola, preparando-se para a ordenação diaconal.

Ele também tinha escrito:

“Muito obrigado pelas suas orações durante o meu retiro. Literalmente, esta última semana de intenso silêncio, sem falar nas últimas 48 horas, foi de momentos muito especiais com Deus e também com os outros. A alegria, a tristeza e a esperança da vida são às vezes condensadas em breves momentos; este foi um deles para mim, e, espiritualmente, este momento da Paixão e Ressurreição de nosso Senhor é o que dá a esses momentos o seu pleno significado e expressão. Bênçãos pascais!”