Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Por favor, ajude-nos a manter este importante serviço. APOIE AGORA
Aleteia

Esta peça de cera sagrada é um dos sacramentais mais antigos da Igreja

AGNUS DEI WAX
Compartilhar

O disco “Agnus Dei” data do século V

Os sacramentais fazem parte da história da Igreja Católica. São conhecidos como “extensões” dos sete sacramentos. Em linhas gerais, podem ser quaisquer séries de ações ou bênçãos que a Igreja tenha instituído ao longo dos anos.

O Catecismo da Igreja Católica explica que as bênçãos sacramentais podem ser invocadas sobre “pessoas, mesa, objetos e lugares” (CIC 1671). Essas orações pedem a graça de Deus sobre indivíduos ou objetos, rogando Sua proteção espiritual duradoura.

Um dos objetos que está entre os sacramentais mais antigos da Igreja é o disco “Agnus Dei”. Trata-se de um disco de cera, que tem a figura de um cordeiro impressa nele.

Historicamente, no século V, esses discos eram usados no pescoço e feitos a partir da cera do Círio Pascal do ano anterior. Eram confeccionados originalmente na manhã do Sábado Santo e distribuídos ao povo no sábado seguinte.

Mais tarde, o Papa se envolveu pessoalmente com este sacramental, que se transformou em uma benção reservada exclusivamente ao Papa. O pontífice consagrava as peças de cera durante o primeiro ano de seu pontificado e depois a cada sete anos. Acredita-se que o Papa Pio XII foi o último pontífice que concedeu este tipo de bênção.

A cera sagrada era um lembrete da vitória pascal de Cristo. Segundo vários escritos papais, quem usava a peça era informado de que “pela visão ou tato do Cordeiro impresso nestes discos de cera, os fiéis serão inspirados a pensar nos mistérios de nossa Redenção e serão movidos a louvar e venerar a bondade de Deus para conosco, na esperança de obterem o perdão e serem purificados de toda mancha do pecado”.

Quem usava o Agnus Dei também tinha uma oração específica para fazer. A oração resume a disposição espiritual que a peça de cera haveria de cultivar na pessoa que a possuísse.

A prece, no entanto, pode nos ajudar, hoje em dia, a meditar sobre a ação salvífica da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus e seus reflexos em nossas vidas.

Jesus, meu Salvador, verdadeiro Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, por vossa infinita misericórdia, vos suplico que perdoais minhas iniquidades, e por vossa Sagrada Paixão, preservai-me neste dia de todo o pecado e de todo o mal. Para vossa honra e glória, uso este abençoado Agnus Dei como proteção contra minha própria fraqueza e como incentivo para a prática das virtudes que nos haveis revelado: a mansidão, a humildade e a inocência. Ofereço-me a vós como uma oferenda inteira, em memória daquele sacrifício de amor pelo qual Vós vos oferecestes por mim na cruz. Aceitai esta oblação, peço-vos, ó meu Deus, como o incenso aceitável para Vós no aroma da doçura. Amém.

Milhões de leitores em todo o mundo – incluindo milhares do Oriente Médio – contam com a Aleteia para se informar, buscar inspiração e conteúdos cristãos. Por favor, considere a possibilidade de ajudar a Edição em Árabe com um pequeno donativo.