Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Carta à minha amiga que está desanimada

SAD GIRL
By luxorphoto | Shutterstock
Compartilhar
Comentar

Você não pode solucionar os problemas dela, mas pode estar ao seu lado nessa caminhada

Minha amiga:

Começo esta carta dizendo o que foi dito a você por quem a ama: “A dor não é eterna”. Não quero dar a você falsas esperanças escrevendo apenas palavras vazias para a confortar por um breve momento.

Das certezas que temos nesta vida, uma delas é que em Deus há consolo e cura. Eu sei que você continua lutando contra o desânimo. Sei que há momentos em que você se sente tão angustiada que deitar em sua cama e ficar em silêncio parece ser a melhor escolha.

Você diz a Deus “Eis me aqui” ao iniciar suas orações, mas por vergonha e dor não consegue prosseguir. Seu coração começa a bater mais rápido, seus medos vêm à tona, sua mente não para. Poucas palavras continuam sendo ditas, mas cada lágrima, cada pedido de socorro feito em silêncio, cada grito abafado, é ouvido por Ele.

No caminho para a aula, você para de ler o livro que está em suas mãos ou apenas o encara antes mesmo de continuar a leitura do dia anterior, e se pergunta se há algo mais que tudo isso.

Você pensa naqueles que ama e se, realmente, está sendo útil para eles. Desistir de tudo em momentos assim parece ser uma boa solução, mas você sabe que não é.

Por mais desanimada e amedrontada que esteja, você não pode se conformar com o desânimo. Tudo nesta terra é passageiro: as aflições, os desânimos, os medos, tudo isso irá passar. A dor não é eterna. Tenha fé. Confie em Deus. Você não está sozinha.

Com amor,

sua irmã em Cristo

(via Alma com Flores)