Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Por favor, ajude-nos a manter este importante serviço. APOIE AGORA
Aleteia

Catedral da Suécia voltará a ter Missa católica pela primeira vez em 500 anos

Wikimedia Commons
Compartilhar

Desde a Reforma Protestante, a Eucaristia nunca mais foi consagrada na catedral que tinha nascido católica e fora tornada luterana

Depois de aproximadamente 500 anos desde o começo da Reforma Protestante, voltará a ser celebrada na catedral luterana de Lund, na Suécia, a Santa Missa católica.

Trata-se da catedral que foi visitada pelo Papa Francisco em 2016, durante os eventos ecumênicos alusivos aos cinco séculos da reforma iniciada por Martinho Lutero. Originalmente católica e dedicada a São Lourenço desde a sua construção, no século XII, a catedral de Lund foi tornada luterana pela reforma protestante. Representante emblemática da arquitetura românica nos países nórdicos, a centenária catedral atrai milhares de visitantes todos os anos.

A razão prática para que a Missa católica volte a ser ali celebrada depois de meio milênio são as obras de restauração da paróquia católica de São Tomás. Devido à provisória interdição dessa capela, a catedral luterana resolveu acolher a comunidade católica aos domingos. A primeira Missa na catedral luterana será celebrada no dia 21 de outubro. As celebrações continuarão, todos os domingos, até o término da restauração da paróquia.

Mas também há outras razões de fundo para a iniciativa. As celebrações da Santa Missa na catedral de Lund foram descritas como “uma continuidade da visita do Santo Padre“, conforme declarações da capelã luterana da catedral e do pároco católico de São Tomás. Na opinião da capelã luterana, Lena Sjöstrand, a visita do Papa “tocou muitas pessoas”. De fato, depois que o Papa Francisco e os líderes da Federação Luterana Mundial rezaram juntos na catedral em 2016, católicos e luteranos se reuniram em outras ocasiões para rezarem vésperas ecumênicas.

Um passo relevante rumo ao resgate da união dos cristãos? Oremos, como Jesus, “para que todos sejam um”.

Milhões de leitores em todo o mundo – incluindo milhares do Oriente Médio – contam com a Aleteia para se informar, buscar inspiração e conteúdos cristãos. Por favor, considere a possibilidade de ajudar a Edição em Árabe com um pequeno donativo.