Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Cristo sonhou com a Igreja, amou-a e fundou-a

RESURRECTION
URŠKA MAKOVEC | ALETEIA
Compartilhar
Comentar

Verdades para ler e guardar no coração

Cristo amou a Igreja e se entregou por ela.

Durante todo o Tempo Pascal, a Igreja nos faz contemplar o Ressuscitado e o fruto da Sua obra, o fruto do Mistério Pascal.

Ei-los: o dom do Espírito, a nossa santificação, os sacramentos que nascem do lado aberto do Cordeiro imolado, a Igreja, Sua Esposa, desposada no leito da Cruz…

É necessário que se diga sem arrodeios: Cristo sonhou com a Igreja, amou-a e fundou-a. Ela, portanto, é obra do Cristo, foi por Ele fundada e a Ele pertence; não se pertence a si mesma, não se pode fundar a si própria, não pode estabelecer ela própria a sua verdade. Tudo nela deve referir-se a Cristo e a Ele deve conduzir!

Mais ainda: não é nem muito preciso dizer que Cristo “fundou” a Igreja. Não! A sua fundação não terminou ainda: Cristo continua fundando-a ainda hoje, em cada Eucaristia celebrada em tantos altares!

Continuamente, o Cordeiro de pé como que imolado, Cabeça da Igreja que é o seu Corpo, funda, renova, sustenta, santifica, Sua dileta Esposa pela Palavra e pelos sacramentos: “Cristo amou a Igreja e Se entregou por ela, a fim de purificá-la com o banho da água e santificá-la pela Palavra, para apresentá-la a Si mesmo a Igreja, gloriosa, sem mancha nem ruga, ou coisa semelhante, mas santa e irrepreensível!” (Ef 5,25-27).

São afirmações impressionantes, profundas:

(1) Cristo amou a sua Igreja e, por ela, morreu e ressuscitou;

(2) pela Sua Morte e Ressurreição, de amor infinito, Ele purifica continuamente a Sua Igreja, santifica-a totalmente, sem desfalecer. Por isso a Igreja é santa, será sempre santa e não poderá jamais perder tal santidade, apesar das infidelidades de seus membros!

(3) Este processo de contínua fundação e santificação da Igreja em Cristo dá-se pelo “banho da água” – símbolo do Batismo e dos sacramentos em geral – e pela “Palavra” – símbolo da pregação do Evangelho.

Então, Cristo continua edificando Sua Igreja neste mundo pela Palavra e pelos sacramentos, sobretudo o Batismo e a Eucaristia.

A Igreja não se pertence: ela é de Cristo! E, como Esposa de Cristo, é nossa Mãe: ela nos gerou para Cristo no Batismo, para Cristo ela nos alimenta na Eucaristia e de Cristo ela nos fala na sua pregação! Ela é a nossa Mãe católica, desposada pelo Cordeiro imolado na Sua Páscoa, como diz o Apocalipse: “Estão para realizar-se asnúpcias do Cordeiro e Sua Esposa já está pronta: concederam-lhe vestir-se com
linho puro, resplandecente!” (19,7s).

Dom Henrique Soares, bispo de Palmares.