Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Por favor, ajude-nos a manter este importante serviço. APOIE AGORA
Aleteia

O uniforme da Guarda Suíça não foi desenhado por Michelangelo, ao contrário do que muitos acreditam

© Antoine Mekary / ALETEIA
Les nouveaux gardes suisses lors de leur prestation de serment au Vatican le 6 mai 2016
Compartilhar

Mas os responsáveis pela segurança do Papa carregam algo que pode surpreender muita gente

Michelangelo pode reivindicar o crédito da Pietà, das pinturas do teto da Capela Sistina e de muitas outras grandes obras de arte. Mas, definitivamente, ele não era um figurinista.

A crença de que Michelangelo tenha desenhado os uniformes da Guarda Suíça é baseada em alguma confusão sobre os artistas. Uma delas foi perpetuada por Dan Brown, autor de “Anjos e Demônios”.

Na verdade, os uniformes são baseados em armaduras utilizadas em toda a Europa Renascentista. O fato de as roupas atuais terem sido encomendadas em 1914 já descarta o mito que diz que eles foram criados por Michelangelo.

No entanto, o blogger Raphael Jackie Fuchs afirma que os uniformes foram inspirados em afrescos de cavaleiros mercenários alemães, conforme a pintura de um contemporâneo de Michelangelo.

O blog também afirma que, quando 150 mercenários suíços chegaram a Roma em 22 de janeiro de 1506, a pedido do papa Júlio II, eles usavam um uniforme composto por um gibão ou uma jaqueta sobre as armaduras de metal, com uma capa preta para proteger da chuva e do frio. O Papa Júlio ordenou, então, que eles passassem a usar amarelo e azul, as cores de sua família de origem. Seu sucessor, o Papa Leão X, fez a mesma coisa, acrescentando vermelho ao amarelo e ao azul, de modo que eles vestissem as cores da família Medici.

A Guarda Suíça tem vários tipos de capacetes, incluindo chapéus de aba larga, bonés de couro acolchoados e capacetes de metal. Todos  foram ornamentados com penas coloridas de faisão ou garça, conforme escreve Fuchs. O capacete de metal, no entanto, foi logo substituído pelo morion – um capacete aberto de crista alta e abas planas.

Os trajes de gala coloridos certamente já fazem parte dos pontos turísticos do Vaticano. Mas o que muitos visitantes não sabem é que os homens de terno escuro que cercam o Papa também são membros da Guarda Suíça, apesar de não estarem usando pantalonas macias e capacetes emplumados. Assim como o Serviço Secreto está pronto para matar ou ser morto no caso de uma tentativa contra o presidente americano, a Guarda Suíça está lá para proteger o bispo de Roma a todo custo. Desde o atentado contra a vida do Papa João Paulo II em 13 de maio de 1981, os guardas agora carregam algo um pouco mais letal: uma pistola Sig Sauer P220.

Milhões de leitores em todo o mundo – incluindo milhares do Oriente Médio – contam com a Aleteia para se informar, buscar inspiração e conteúdos cristãos. Por favor, considere a possibilidade de ajudar a Edição em Árabe com um pequeno donativo.