Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 14 Abril |
São Telmo
home iconEstilo de vida
line break icon

Me bloquearam no WhatsApp. E agora?

Alejandro Ruhl/Shutterstock

A soma de todos os afetos - publicado em 17/04/18

Às vezes, ser bloqueado por alguém é a melhor coisa que poderia ter acontecido

Algumas pessoas saem de nossas vidas sem a gente querer, mas depois de um tempo a gente percebe que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

Às vezes nos falta coragem para romper com uma situação ruim. Projetamos o futuro com pessimismo e não imaginamos que de um limão podem surgir diversas limonadas geladinhas e muito doces.

Então de repente vem a vida solucionando tudo pra gente, nos livrando dos enganos com bênçãos disfarçadas, nos permitindo dar um basta àquilo que não nos cabe, mesmo que não consigamos enxergar isso no momento.

Qualquer um há de concordar que ser rejeitado por alguém machuca, fere muito. Porém, é preciso conseguir ver além das primeiras impressões. É preciso aprender a enxergar além daquele momento em que a raiva nos cega e só pensamos no próprio ego, no orgulho ferido, na humilhação e no fracasso.

É preciso deixar o tempo apaziguar a decepção e só então ter a noção exata do que foi perdido. Porque às vezes a gente se confunde. Imagina que perdeu alguma coisa quando na realidade ganhou. Embaralha os sentimentos e acredita que a dor do abandono é o mesmo que a tristeza pelo fim do relacionamento.

Às vezes a gente insiste. Insiste muito. Aposta alto num barco furado porque em algum lugar dentro da gente algo ainda nos diz que é pra continuar remando, que vai valer a pena, que há algo a se esperar.

Porém, mesmo insistindo, mesmo desejando, podemos ser bloqueados em nossa tentativa de remar. Nós ainda não temos consciência disso, mas uma hora iremos perceber que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

Ser abandonado ou bloqueado por alguém não precisa ser sinônimo de derrota ou tribulação se encararmos que foi melhor sermos excluídos de uma vez da vida dessa pessoa do que se tivéssemos permanecido como última opção em seu rol de prioridades.

O lado bom de ser bloqueado por alguém é que isso nos situa, dá um chacoalhão na nossa mania de olhar para trás pelas lentes da nostalgia, nos ajuda a valorizar o presente e dar uma chance ao futuro. E quem nos bloqueou nem sempre é imaturo ou não nos quer por perto.

Muitas vezes essa pessoa também está lutando para deixar o passado para trás, e num “acordo” silencioso e subentendido entre as partes, nos faz um grande favor ao nos bloquear e finalmente romper os laços.

Às vezes a gente precisa que alguém nos empurre porta afora e nos ponha por diante, para que a gente perceba o quanto a vida é incrível do lado de fora. Nem sempre temos força para sair do sofá, tirar o pijama e fazer acontecer. Então somos bloqueados e tudo muda.

Se antes não questionávamos a relação, agora passamos a questionar. E podemos chegar à conclusão de que nosso medo de romper com a realidade do sofá empoeirado, bolorento e escuro nada mais era do que nossa dificuldade em aceitar mudanças e em sermos amorosos com nós mesmos.

Ser bloqueado por alguém pode ser libertador. Porque isso nos dá limites. Isso nos dá clareza. Isso nos coloca em nosso devido lugar e nos autoriza a seguir em frente, a não ter esperanças, a desistir.

Além disso, passado o susto inicial, começamos a perceber melhor as coisas. Começamos a questionar o valor que dávamos àquela pessoa e descobrimos, com admiração e alívio, que reciprocidade não se cobra, e que o maior responsável por ofertar carinho pra gente é a gente mesmo.

(via Soma de todos os afetos)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens poderosas
2
MIGRANT
Jesús V. Picón
O menino perdido no deserto nos convida a refletir
3
Pe. Zezinho
Reportagem local
Não desprezem o templo nem posem de católicos avançados, alerta o...
4
LOVE AND MERCY FILM
Aleteia Brasil
O filme sobre Santa Faustina e a Divina Misericórdia já está disp...
5
DIVINE MERCY
Reportagem local
Como obter indulgência plenária no Domingo da Divina Misericórdia...
6
agnus Dei
Catholic Link
Filme “Agnus Dei”: o dilacerante calvário das freiras...
7
Aleteia Brasil
Havia um santo a bordo do Titanic?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia