Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Papa: por que devemos fazer o sinal da cruz nos momentos de perigo?

POPE FRANCIS,GENERAL AUDIENCE
Antoine Mekary | Aleteia | I.Media
VATICAN CITY 11 OCTOBER 2017: Photographs from the General Audience with Pope Francis on October 11, 2017 at Saint Peters Square in Vatican City, Rome, Italy.
Compartilhar
Comentar

Francisco ensinou o significado deste gesto

O Papa Francisco ensinou o poder que está por trás do sinal da Santa Cruz. Foi durante a audiência geral do dia 18 de abril de 2018, na Praça São Pedro.

O pontífice insistiu no significado do gesto que os cristãos costumam fazer em momentos de perigo e para pedir proteção contra o mal. Segundo ele, cada fiel cristão deve saber se abençoar para demonstrar que pertence a Cristo.

“Toda a nossa vida, as nossas palavras, ações e nossos pensamentos estão sob o sinal da cruz, ou seja, do amor de Cristo ao extremo. Fazer o sinal da cruz quando acordamos, antes das refeições, diante de um perigo, em defesa contra o mal, antes de dormir, significa dizer a nós mesmos e aos outros a quem pertencemos, quem queremos ser”, disse Francisco.

Batismo

Aos 17 mil fiéis presentes na Praça São Pedro para ouvir a catequese papal, Francisco também continuou seus ensinamentos sobre o Batismo.

Ao explicar os gestos e as palavras da liturgia batismal, o Papa pediu que os padrinhos e os pais ensinem às crianças o significado do sinal da cruz.

Isso, segundo Francisco, “ajuda-nos a compreender o dom que recebemos neste sacramento”.

O Papa ainda explicou o rito do Batismo e o momento que precede o gesto da Cruz: “os catecúmenos adultos manifestam o desejo de serem recebidos na Igreja, enquanto as crianças são apresentadas a ela pelos pais e padrinhos. (…) O celebrante e os pais fazem o sinal da cruz sobre a fronte da criança, expressando, assim, que ela está pronta para pertencer a Cristo, que nos redimiu com a cruz.”

Francisco ainda lembrou a tarefa deixada por ele na audiência passada, em que pediu para os fiéis checarem a data do próprio Batismo, que é considerado uma espécie de “aniversário” na vida espiritual.

O nome do batizando

“No rito de acolhida do Batismo, o celebrante pede o nome de quem vai ser batizado. O nome indica a identidade de uma pessoa. Deus nos chama pelo nosso nome, ama-nos pessoalmente. O Batismo desperta em nós a vocação de vivermos como cristãos, o que implica uma resposta pessoal de nossa parte. Mas não termina aí: ao longo dos anos, Deus segue nos chamando pelo nome, para que todos os dias nós nos pareçamos ainda mais com seu Filho Jesus”, disse o Papa.

Ao final da audiência, Francisco ainda fez um apelo pela vida do pequeno Alfie Evans, o bebê do Reino Unido que pode ser desligado dos aparelhos que o mantêm vivo por decisão da justiça britânica.