Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O gesto deste menininho tocou o coração do Padre Reginaldo Manzotti

REGINALDO MANZOTTI
Compartilhar

O garoto estava desesperado e chorando muito. Mas foi acolhido pelo padre e fez um pedido especial a ele

Uma publicação feita pelo Padre Reginaldo Manzotti no Facebook vem emocionando o Brasil. O padre narra que estava saindo de um evento em Caruru, PE, quando observou um menino tremendo e chorando muito.

“Ele segurava uma foto [da avó] e estendeu seus braços em minha direção, como se pedisse colo, socorro, acolhimento. Parei para saber o que estava acontecendo, me abaixei para falar com ele”, diz o religioso na rede social.

O menino contou que a vó dele estava muito doente e pediu ao padre que rezasse por ela. “E na inocência de uma criança, se jogou em meus braços, se aninhou e confiou que Deus amenizasse a sua dor e curasse a sua avó. O segurei em meus braços até que ele se aquietasse, parasse de tremer e eu pudesse ir embora”, acrescentou o padre.

Foi um momento de consolo para um menino inocente e de aprendizagem para o experiente e respeitado sacerdote, que explicou o que sentiu naquela hora: “senti que esta é a nossa missão, em todos os lugares, em todos os momentos. Acolher mesmo sem ter respostas e certezas, sem prometer nada, apenas ser um Bom Pastor que conduz suas ovelhas que necessitam de cuidado e proteção. O que fiz foi isso: dar afeto, esperança e carinho, proporcionando à esta criança a experiência que na terra, o Padre pode ser o Bom Pastor”.

Depois do abraço, o garoto saiu aliviado. E o padre fez um apelo aos seguidores: “peço a intercessão de todos vocês por esta avó cujo nome não sei, mas que as lágrimas de desespero de seu neto ficaram marcadas em meu coração. Divido esta experiência para que reflitam sobre quantas vezes podemos ser o abraço fraterno que acolhe e cura”.

Tags:
padres