Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Mãe, preciso te dizer isso

Por Phovoir/Shutterstock
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Compartilhamentos

Talvez sua mãe precise saber disso, compartilhe com ela ❤

Uma vez li uma antiga bênção mexicana que dizia assim: “Eu liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo”; e pensei nas inúmeras vezes que julguei as pequenas “faltas” de minha mãe, mesmo quando o erro não era dela.

Por ter necessidade de achar um bode expiatório para minhas dificuldades, traumas e aflições, o caminho mais simples e seguro sempre foi acusar a pessoa que mais fácil me perdoaria: minha mãe.

Hoje quero libertar minha mãe do sentimento de que já falhou comigo. Quero que ela saiba que mesmo que eu discorde de algumas atitudes tomadas no passado, sei que ela fez o que julgou que seria melhor para mim no momento.

Que ela se sinta leve, sem arrependimentos ou culpas, e que perceba o quanto serviu de pilar e exemplo para nossa casa. Quero que minha mãe entenda que, se ouviu inúmeras vezes que a culpa era dela, mesmo quando fazia de tudo para o barco não afundar, foi porque a imaginávamos forte e doce demais para falhar.

Desejo que saiba o quanto sou grata e o quanto compreendo os caminhos, algumas vezes tortos, que trilhou para que fôssemos felizes.

Há uma frase do Padre Fábio de Mello que diz mais ou menos assim: “Diga-me quem você mais perdoou na vida, e eu então saberei dizer quem você mais amou”. Em se tratando de coração de mãe, essa frase ganha sentido e autenticidade. Pois, de uma forma geral, aprendemos desde cedo que é ali, naquele colo de cheiro conhecido, que encontramos abrigo, afeição e, de uma maneira que não podemos imaginar, perdão.

Mãe falha tentando fazer o melhor. Falha pela ausência, tentando passar um exemplo de independência. Falha pela presença, tentando ser apoio e companhia. Falha privando e frustrando; falha mimando e cuidando. Falha virando uma leoa em defesa de seus filhotes; falha tentando ser sensata e imparcial.

Falha fazendo drama; falha acobertando os erros. Mãe falha sofrendo no lugar da gente; falha ignorando os sinais. Falha suportando tudo; falha rodando a baiana e colocando os pingos nos is.

Porém, o que mãe não faz, é desistir. Mesmo falhando, ela está ali, tentando. Mesmo errando, estará sempre nos abençoando.

Mãe jamais cruza os braços. Mesmo que finja ignorar, no fundo de sua alma ela ora a Deus por nossos caminhos. Mesmo saindo de perto, ela não nos abandona. Mesmo não concordando conosco, ela continuará leal a quem somos de fato.

Pois só ela nos conhece de verdade, sem as máscaras que adquirimos com o tempo. Só ela conhece nossos medos mais primitivos, e pode explicar a origem daquela angústia ou dificuldade.

Crescemos, adquirimos novos hábitos e costumes, e percebemos que nem tudo foi perfeito na casa onde nascemos. Ficamos críticos, passamos a discordar da educação que tivemos e tentamos agir de outro modo com nossos filhos.

Porém, também passamos a repetir aquilo que foi bom. Sem querer, nos flagramos repetindo falas e trejeitos de nossos pais, repetindo brincadeiras, receitas e passeios, tentando eternizar tradições.

Hoje peço a Deus que me ajude a perpetuar o grande amor de minha mãe por seus filhos. Que, ao entrar em casa, eu esqueça o peso do meu dia e possa ser leve e presente na companhia de meu filho. Que eu possa inspirá-lo a ser bom, forte e paciente, mas acima de tudo, que ele entenda meu desejo de que seja mais amoroso consigo mesmo.

Que eu nunca deixe de dobrar meus joelhos e pedir proteção a ele, entendendo que só Deus pode ir aos lugares que eu não alcanço. Que eu consiga acertar mais que errar, mas que ele perdoe minhas falhas e faltas, entendendo que fui aprendiz também, e sempre desejei o seu bem.

Que minha própria mãe se faça presente em alguns de meus pensamentos e gestos, me ajudando a repetir e aperfeiçoar o amor. E que, ao entregar meu filho para o mundo, eu possa confiar no tempo que passamos juntos e acreditar, com satisfação, que ele estará seguro e em paz.

Mas um dia, ao ver meu filho voltar, espero enxergar em seus olhos o brilho de quem encontrou seu caminho, ou pelo menos está tentando. Pois no fundo o que as mães querem é uma coisa só: que seus filhos sejam felizes.

(via Resiliência Mag)

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições