Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Monte St. Michel, um dos mais belos lugares do mundo

Compartilhar

Uma de suas marcas exclusivas são as suas marés, as maiores da Europa continental

Se puder, faça todo esforço para conhecer de perto esta baía e este castelo montado sobre uma ilhota. Você nunca mais esquecerá os momentos que passar ali. Esperei 40 anos para visitar a ilha de St. Michel. E fiquei encantado, numa quarta-feira de primavera, durante mais de 10 horas.

Situada nesta baía, no litoral francês do Canal da Mancha, com Bretanha a oeste e a Normandia a leste, ela é Patrimônio Mundial da UNESCO. Uma de suas marcas exclusivas são as suas marés, as maiores da Europa continental, com uma diferença de até 15 m entre maré baixa e alta. Na primavera, no pico das marés pico, o mar recua cerca de 15 km da costa e na subida, o mar retorna muito rapidamente, o que torna o lugar perigoso.

A primeira foto, que recebi da Agência Espacial Europeia, mostra a Baía do Mont Saint-Michel no norte da França, vista pelo satélite Copérnico Sentinel-2. As demais são do ilhéu com seu belíssimo castelo.

Agência Espacial Europeia

A imagem captada pelo satélite Sentinel-2, da ESA (Agência Espacial Europeia), mostra o momento em que a maré estava recuada, de modo que a vasta área de dunas de areia ficasse exposta, cortada por canais sinuosos de águas rasas. Três rios desaguam nessa baía: o Couesnon, o Sée e o Sélune.

O famoso ilhéu rochoso do Monte Saint-Michel, visível na foto como uma pequena mancha escura no sul da baía, fica a cerca de 1 km da Foz do Couesnon. No morro, há um mosteiro beneditino e uma pequena aldeia.

A baía, no entanto, tem sofrido sedimentação nos últimos dois séculos. As ações do homem, incluindo a agricultura e a construção de uma calçada para o Mosteiro da ilha, agravaram este problema. Uma grande campanha garantiu que Monte Saint-Michel preservasse o seu caráter marítimo e continuasse a ser uma ilha. O rio principal na baía, o Couesnon, por exemplo, tem fluídomais livremente para que os sedimentos são lavados para o mar.

(Autor: Ethevaldo Siqueira, via Facebook)

VEJA TAMBÉM:

A misteriosa igreja erguida na fronteira deste mundo